Resenha: Nada escapa a Lady Whistledown - Suzanne Enoch, Karen Hawkins, Mia Ryan & Julia Quinn - Editora Arqueiro

Título: Nada escapa a Lady Whistledown - Série Lady Whistledown #2
Autora: Suzanne Enoch, Karen Hawkins, Mia Ryan & Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 320
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:


Em Nada Escapa a Lady Whistledown, a cronista eternizada por Julia Quinn continua a revelar os acontecimentos mais apimentados da temporada londrina. Suas colunas são o fio condutor das quatro histórias que formam esta encantadora e divertida coletânea.
Há tanto a ser dito sobre o baile oferecido por lady Trowbridge, em Hampstead, que esta autora não teria como contar tudo em só uma coluna...
Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1813
Julia Quinn encanta...
A alta sociedade está em polvorosa, afinal a debutante mais promissora da temporada foi rejeitada por seu pretendente... apenas para ser conquistada em seguida pelo charmoso irmão mais velho do canalha que não a quis.
Suzanne Enoch fascina...
Um futuro noivo fica sabendo que o comportamento escandaloso de sua bela prometida foi parar na coluna de lady Whistledown e volta correndo para Londres com o intuito de ganhar o coração da moça de uma vez por todas.
Karen Hawkins seduz...
Um conhecido libertino tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama se encanta por outro cavalheiro.
Mia Ryan delicia...
Uma jovem é despejada da própria casa por um detestável – embora charmoso – marquês que pretende tomar posse não apenas do imóvel, mas também de sua antiga moradora.



E mais uma vez a colunista mais intrigante da sociedade londrina volta com suas notas e abre caminho para lindos e envolventes contos que podemos apreciar em Nada escapa a Lady Whistledown. 

Começamos com Suzanne Enoch que nos brinda com o casal lady Anne Bishop e Maximilian Trent, o marquês de Halfurst, em Um amor verdadeiro. 

Anne desde bebê, fora prometida a casamento com Maximilian. Suas famílias desde muito cedo criaram laços, porém após a morte de seu pai, descobriu que a família estava com dificuldades financeiras e decide diante de tantos rumores sair da cidade com sua mãe, fixando residência em Yorkshire. 

Passados dezenove anos sem ao menos dar uma notícia sequer a sua prometida, ele retorna a Londres para buscar sua noiva e leva-lo para Yokshire o mais rápido possível, pois não está acostumado a se manter longe dos negócios por muito tempo. Mas essa condição poderá tomar mais tempo que o necessário, já que quando se reencontram lady Anne, simplesmente não cederá aos seus encantos e muito menos aceitará quaisquer desculpas por tamanho sumiço.

A verdade é que Maximilian, retornou a Londres após ler a coluna de Lady Whistledown que colocava lady Anne em uma situação embaraçosa com Sir Royce Pemberley e que envolvia os anjinhos de neve. 

Lady Anne é uma moça acostumada a ser ir a bailes e ser cortejada por belos rapazes e inicialmente a imagem do marquês de Halfurst lhe causa má impressão, porém quando está impecavelmente vestido, verá que além de belo esse homem também desperta seu interesse por saber conversar por vários assuntos e não apenas pelas coisas da fazenda e suas ovelhas. Porém ela morre de medo de sair de Londres e conhecer outros lugares, principalmente pelo desconhecido, não se imagina vivendo em uma fazenda em Yorkshire, dando trabalho ao marquês.

Toda sociedade acha que Maximilian está falido e alguns maus intencionados tentarão convencer de que sua imagem e estar casada com ele será ruim para lady Anne, mas com uma personalidade bem determinada, o marquês mostrará a sua bela prometida que ele estava errado por ter sumido por tanto tempo e que seu coração a pertence. E por que não aproveitar sua estadia na cidade para conquistar pouco a pouco o seu carinho e devoção?


“Sentindo a necessidade de tocá-la, Maximilian deu mais um passo à frente. Levou as mãos ao pulso de Anne e a fez soltar os dedos do vestido.

Ela engoliu em seco quando ele levou sua mão aos lábios. Uma lenta onda de calor lhe subiu pelas veias quando o encarou com seus cílios longos e curvados.”


Logo depois temos Karen Hawkins, nos encantado com Srta. Elizabeth Pritchard e Sir Royce Pemberley, em Dois corações.

A temporada de frio está a todo vapor e a sociedade londrina em polvorosa com tantos eventos para irem, porém o mais concorrido no momento inicial dessa história é a patinação que acontece sob o Tâmisa. 

A Srta. Elizabeth Pritchard, perdeu seus pais novinha e precisou observar seu tutor para conseguir chegar em algum lugar com sua fortuna, já que o tutor que deveria lhe ensinar nada fez para ajudá-la. Assim, cresceu dona de um império, cheia de personalidade, um tanto difícil até, mas agora começa a sentir falta de ter uma família para si, com um bom marido e filhos. O único problema e bem complexo, é que simplesmente não consegue sentir uma paixão por absolutamente ninguém com que se relaciona.

Em sua vida sempre estiveram presentes, os irmãos e amigos, lady Margaret Shelbourne e Sir Royce Pemberley. Que após ser citada na coluna de Lady Whistledown, começou a cogitar ter lorde Durham como seu esposo. Seus amigos se preocupam com essa atitude repentina, mas ela está determinada a levar essa questão a frente, mesmo que ele seja apenas uma pessoa agradável e não tenha sentimentos tão intensos por ele. 

Seu medo é que o tempo está passando e com a sua idade, já deveria ter uma família formada. 

Sir Royce, sempre foi muito bom em tudo o que faz, principalmente em manter-se longe de relacionamentos sérios, casar então passa muito distante dos seus objetivos. Porém, com essa nova escolha de sua amiga, ele percebe que esse assunto começa a incomodá-lo muito mais do que gostaria de admitir e se dá conta de que também tem sentimentos por Liza e seu maior desafio será mostrar pra ela que suas intenções são sérias e que seu coração sempre pertenceu a essa bela mulher. 

Será que Liza finalmente deixará o amor preencher o vazio que há toma por tantos anos?


“Liza nunca se apaixonara. Na verdade, nem sabia se era capaz de sentir tal emoção.

O coração ficou apertado e lágrimas lhe brotaram nos olhos. Era por isso que estava deprimida; havia esperado anos para viver uma “grande paixão”, mas nunca acontecera. O quer era uma pena, pois tinha certeza de que se apaixonar era a sensação mais maravilhosa da face da terra.”


O terceiro conto do livro foi escrito por Mia Ryan, em Uma dúzia de beijos, conhecemos lady Caroline Starling e Terrance Greyson, o lorde Darington.

Caroline não estava muito feliz com seu prometido e prestes a ser pedida em casamento por Ernest Wareing, o conde de Pellering. Acostumada a não dar demonstrações em público, ao constatar que esse é o que o destino lhe reserva, começa a chorar em pleno teatro, mas acaba sendo amparada por um homem e se assusta.

E esse homem é Terrance, o mesmo que há anos atrás deu apenas dois dias para que ela e sua mãe saíssem de Ivy Park. Espantada com o fato dele tê-la ajudado decide se manter longe, principalmente por ter ficado muito impressionada por ele ter sido tão diferente depois de tanto tempo, não entende ao certo porque seu coração palpita cada vez que ele se aproxima.

Terrance teve um passado complicado desde que assumiu o título de marquês e como soldado sofreu um acidente que lhe deixou com grandes dificuldades e limitações principalmente quando o assunto é se comunicar. E tudo isso confunde ainda mais a cabeça de lady Caroline. Mas quando ele acha uma solução para conseguir expressar tudo que vem sentindo desde o primeiro encontro dessa temporada, a resposta poderá não chegar a tempo e Linney precisará ser ágil para abrir seu coração e mudar de uma vez por todas o rumo dessa história.


“Linney deu um leve sorriso quando seu cérebro nebuloso a guiou rumo a um sonho fascinante. Curiosamente, lorde Darington era o protagonista do sonho. E foi, de fato, um sonho muito bom.”


E fechando de forma encantadora, a diva Julia Quinn, nos presenteia com, Trinta e seis cartões de amor.

Diferente dos outros contos, esse se inicia em 1813, onde a Srta. Susannah Ballister conheceu um homem que a fez mudar suas convicções sobre o amor. 

A temporada estava a todo vapor e Srta. Susannah foi colocada em uma situação extremamente embaraçosa, quando o Sr. Mann-Formsby que a cortejava, decidiu mudar os planos e pedir a Srta. Harriet Snowe em casamento. 

Lady Whistledown não perdeu tempo em documentar em suas crônicas todos os acontecimentos daquele período, inclusive a retira da Srta. Susannah da cidade para a casa de campo de sua família em Sussex. 

Agora estamos novamente em 1814 e a notícia do casamento do Sr. Clive com Srta. Harriet não para de ser noticiada, porém após uma temporada fora, Susannah retorna a sociedade londrina e esse reencontro com Clive, promete deixar de cabelo em pé e a fofoca correr a solto diante de tamanho constrangimento.

Porém fora surpreendida em pleno baile para uma dança e se deu conta de quem estava a sua frente era nada mais nada menos que David Mann-Formsby, irmão de Clive. De início ela desconfia, mas David queria apenas transforma o instante de pura agonia de estar em um salão sendo tão observada, em um momento de prazer, afinal tudo que aconteceu não foi culpa de Susannah, mas a sociedade preconceituosa por ser de uma família sem posses, não perdoava em tecer críticas a moça. E a dança se revelou muito mais que apenas um momento juntos. Porém, Susannah agora tinha erguido um muro em seu coração e não se deixaria levar por qualquer momento agradável e passar por qualquer situação parecida como aconteceu no passado estava completamente fora de cogitação. 

Será que David conseguirá ultrapassar os muros do coração ferido de Susannah?


“Ele a beijou até ela achar que desmaiaria de desejo.

Ele a beijou até ela achar que desmaiaria de falta de ar.

Ele a beijou até que ela não conseguisse pensar em nada além dele, não conseguisse ver nada além do rosto dele em sua mente e até que não quisesse mais nada além do sabor dele em seus lábios... para sempre.”


Esse livro está completamente incrível! Favorito é pouco para defini-lo. 

Tirando o último conto da Julia Quinn que inicia em 1813, todos se passam em 1814 e tem seu desfecho no baile de 14 de fevereiro, dia de São Valentim. 

Quatro casais, quatro histórias criadas de forma envolvente e a cada construção vamos conhecendo os personagens, que vão ora ou outra, dando passeadas nas histórias das autoras, e torcendo para que consigam seu felizes para sempre. 

Susanne Enoch me conquistou logo de cara com seu casal e confesso que poderia ter lido um livro inteiro só com eles, tamanho foi o fascínio e empatia que senti por lady Anne e Maximilian. Por isso destaco como os meus favoritos desse livro. 

Claro que gostei bastante do desenrolar das outras histórias e acabei me deliciando com os romances criados, mas seria injusto não destacar os queridinhos. 

Falando em destaque, sem sombras de dúvidas, que a sociedade londrina nunca poderia ser a mesma sem as traquinagens, o olhar questionador e a avaliação minuciosa de Lady Whistledown, que mesmo sem querer, cumpriu um propósito com suas crônicas e ajudou com sua língua afiada, a juntar e nos fazer torcer por esses casais com tantas qualidades diferentes, porém precisavam de um certo empurrãozinho para darem voz ao amor.



A capa é muito linda e a diagramação tem o padrão da editora Arqueiro. A narrativa é muito fluida e a leitura é feita de forma tão rápida que nos damos conta só quando terminam os contos. 

Prepare-se para colar muitos post-it! Com direito a muitas risadas, bailes e eventos espetaculares, a combinação e a maestria dessas quatro autoras nesse romance de época se torna uma perfeita dica de leitura e apesar do inverno rigoroso da temporada londrina, cada história certamente aquecerá os corações e levará a muitos suspiros dos leitores que irão se apaixonar e sentirão saudades, até que Julia Quinn traga mais dessa incrível personagem e todo o universo de Lady Whistledown.

* Esse livro faz parte do DLL de maio, no item: romance de época.






7 comentários via Blogger
comentários via Facebook

7 comentários

  1. Gosto bastante de conto e ver eles em romance de época é algo que me atraí muito. E saber que os quatro contos formaram uma obra incrível só me faze querer ler, principalmente este da Susanne e nada melhor que um livro cheio de post-it, eu amo.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Camila!

    Eu amei a resenha! Os únicos livros da Julia Quinn publicados no Brasil e que eu ainda não tenho são os dois da Lady Whistledown e Mais Forte que o Sol. Os outros todos eu tenho, pois sou muito fã da autora. :D

    Quero muito ler esses contos! Os que estou mais ansiosa para conhecer são os da Suzanne Enoch e Julia Quinn, claro! Sei que irei me apaixonar por eles e ficar com gostinho de quero mais.

    ResponderExcluir
  3. Tenho que te confessar que Lady Whistledown é minha favorita do universo dos Bridgertons e saber que ela ganhou rumos próprios, só me deixa aind amais instigada a conhece-la melhor. Já separei meus post its aqui e quero as risadas também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila! Adorei todos! Júlia Quinn soube criar uma fofoqueira maravilhosa com sua Lady Whistledown. As outras escritoras não conheço, mas as histórias parecem ser tão boas quanto. Fiquei interessada particularmente por Dois corações, por Liza apesar de ser uma mulher de sucesso admitir que falta um grande amor na sua vida e ir em busca disso. Só um porém, odeio contos, por serem curtos demais, a gente acaba querendo mais da história e não tem.. Amei a dica!


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Essa será uma das minhas próximas leituras. Eu adoro tudo o que envolve essa série criada pela Julia Quinn. Com certeza vou gostar de cada um dos contos que compõem esse volume.
    Uma ótima resenha!
    Bjks!
    Histórias se Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    A primeira coisa que preciso comentar é o quanto achei essa capa linda. A Arqueiro arrasou, mais uma vez.
    Falando sobre o livro, estou muito curiosa para ler. No entanto, eu anda quero terminar de ler a série Os Bridgertons e o outro livro de contos da Lady Whistledown. Mesmo que não tenham relação, eu gosto de ler na ordem de publicação.
    De qualquer forma, adorei ler suas impressões e saber que, mesmo tendo um favorito, você gostou de todos os contos. Me pareceu uma leitura super rápida e divertida, e tenho certeza que darei muitas risadas enquanto estiver lendo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei o primeiro livro, não sabia que tinha mais um até a arqueiro divulgar o lançamento. Fiquei muito feliz, essa personagem é muito divertida, e todas as histórias são muito amorzinho.
    beijos

    ResponderExcluir