Resenha: Como esquecer um cafajeste - Simone Lemos - Editora Alicanto

Título: Como esquecer um cafajeste
Autora: Simone Lemos
Editora: Alicanto
Ano: 2016
Páginas: 286
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:



Será que é possível deixar de amar alguém só porque você decidiu fazer isso?
Nathalie tem 30 anos, é dona de uma loja fofa numa área nobre de Brasília e é cercada de família e amigos que a amam. A única coisa que não está indo tão bem é sua vida amorosa. O caso é que ela se relaciona há 10 anos com João Paulo, um policial incrivelmente sexy que vive indo atrás de Nathalie mas que se recusa a assumir um compromisso mais sério... com ela. Cansada de esperar o dia em que finalmente poderá chamar João Paulo de seu, Nathalie decide tomar as rédeas da situação e elabora uma lista pra lá de inusitada com medidas a tomar para esquecer seu grande amor. Mas em meio a muitas trapalhadas, ela começa a se questionar: será que é mesmo possível comandar seu coração? E quando ele jura de pés juntos que irá mudar, será que dá para acreditar? "Como esquecer um cafajeste" é uma história sobre os relacionamentos não convencionais, as loucuras que fazemos quando estamos apaixonadas, as ciladas que o coração pode nos preparar, o apoio que encontramos nas amizades e principalmente, até onde estamos dispostas a ir movidas por um grande amor.



Nathalie tem uma difícil missão. Conseguir se livrar do enrosco que sua vida ficou após João entrar na sua vida. 
Bem sucedida e com o negócio indo de vento em polpa, não entende como pode ser tão fraca quando o assunto é João.

Os dois estudavam juntos na mesma turma no curso de francês e com a ajuda de algumas colegas, Nathalie resolve mandar mensagem para o celular de João. No meio da conversa as coisas vão seguindo para um rumo mais picante e logo na primeira saída deles resolvem transar. 

“Cuidado com o que você deseja, dizem por aí. Mas baseada na minha experiência, eu diria cuidado com quem você deseja. Porque se acabar sendo um João Paulo da vida, é melhor apertar os cintos.”

A partir daí, sempre que ele decide que tá afim, envia uma mensagem e Nathalie cede indo ao seu encontro e por mais que questione algo, ele sempre contorna e ela não faz nem um esforço para dificultar a vida do rapaz.

João é o verdadeiro cafajeste. Sua vida se divide entre a polícia, os muitos relacionamentos, suas inúmeras desculpas esfarrapadas e mesmo as melhores amigas, Mel e Vanessa, que vivem dizendo para largar ele de lado, Nathalie arruma uma desculpa típica e a situação mal resolvida deles já vai durando longos dez anos. 


“Lembre-se do que você realmente quer para sua vida e mantenha o foco no sonho, não no cafajeste.”

Desesperada para dar um fim nessa situação e parar de sofrer pelo cara errado, ela monta uma lista com vários tópicos afim de se livrar desse sentimento e da lábia desse cara.

Em todo o livro, acompanhamos a saga desde quando a personagem conhece João, em setembro de 2006 e ao longo da leitura a narrativa passa a ser alternada entre acontecimentos do passado e do presente, mas infelizmente é difícil ver alguma mudança no comportamento de Nathalie, que praticamente é empurrada por suas amigas para reagir de alguma forma e parar de ser feita de boba por João. 

Algumas cenas e diálogos entre as amigas são divertidos e legais de acompanhar, porém infelizmente senti que a trama dava muitas voltas nas atitudes ou falta de caráter do João e pouco mostrou a personagem realmente querendo mudar sua condição. Me fez querer tacar o livro na cabeça de Nathalie para deixar de ser trouxa. Ao mesmo tempo, fica o alerta para muitas mulheres olharem um pouco para dentro de suas vidas, terem amor próprio, se valorizarem, pensarem até quando vale a pena ser a segunda, terceira, quarta opção de alguém!?

A narrativa em si não foi muito fluida e mesmo com alguns clichês típicos do chick-lit que deixam a leitura envolvente, senti falta de capítulos mais curtos e uma enxugada nas descrições, seria uma boa opção para deixar a trama mais ritmada. No entanto, os momentos finais da história me surpreenderam, com sua volta por cima e deixou a sensação de ter valido a pena a leitura, só gostaria que tivesse mais dessa parte da vida da Nathalie.

Como esquecer um cafajeste foi publicado pela editora Alicanto. A edição tem uma diagramação bem fofa, capa bonita, a fonte é confortável para leitura, as folhas são brancas, notei poucos erros de revisão, não me atrapalhando ao longo da leitura.

Um romance sobre erros e acertos, repleto de confusões e muitas demonstrações de amizade.







0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário