Resenha: Eu Perdi o Rumo - Gayle Forman - Editora Arqueiro

Título: Eu perdi o rumo
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

* Livro cedido em parceria com a editora
Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.
Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho.
Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu Perdi o Rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.




De cara conhecemos Freya, uma jovem cantora de origem etíope, que está lidando com uma situação bastante delicada em sua vida. Como se já não bastasse a decepção de ser deixada de lado por seu pai que sempre foi seu maior conselheiro e amigo, agora prestes a concluir seu álbum terá que lidar com a perda de sua voz. 

Sua mãe e irmã, não facilitam para ela, e a cada dia Freya se sente mais sufocada com tantas idas a médicos, e essa obsessão por parte da mãe, vai deixando a jovem cada vez mais apreensiva e com medo de perder o espaço que conseguiu entre os fãs até o momento. 

“Se as pessoas que te amam não podem dizer a verdade, quem é que pode?”

Harun é um jovem de origem muçulmana e desde novo se reprimiu das sensações que sentia, descobrindo mais tarde que elas faziam parte de quem ele ainda teria dificuldades em assumir. Agora, vendo-se apaixonado por um rapaz, ele precisa se decidir se abre o jogo para sua conservadora família ou deixa escapar essa vontade de vivenciar seus sentimentos para arrumar uma noiva seguindo a tradição familiar. 

Nathaniel é um estudante que abriu mão de seus sonhos para cuidar do seu pai. Após sua mãe não suportar o peso de lidar com a família, só restaram ele e seu pai, mas descobrimos que a saúde mental dele, coloca esse jovem em vários apuros e assim com o passar dos anos, se viu sugado com tantas responsabilidades, mesmo com pouca idade. 

“– Todos nós morremos – disse Hector, esfregando os punhos de Mary. – É a única certeza que temos na vida, e a única coisa que temos em comum com todo o resto do planeta.”

O destino deu um jeito desses três personagens se reunissem em pleno Central Park e quando um incidente acontece, conheceremos mais a fundo cada um dos dramas vivenciados por eles.

“As pessoas têm que ser pacientes umas com as outras. Compreender que às vezes a situação sai dos trilhos, que certas coisas não podem ser apressadas. Que uma pessoa pressionada acaba cometendo erros.”



Gayle Forman trouxe de forma dinâmica a vida desses personagens. Com narrativas intercaladas, vamos entrando nos pensamentos e nos sentimentos de cada um deles. 

O que mais me chamou atenção, foi o fato de todos se sentirem perdido em um ponto da vida e quando tudo parecia ser demais para cada um deles, conseguiram se apoiar e olhar a vida por uma outra perspectiva, o que deixou a leitura bem atraente. Às vezes sozinhos ficamos sufocados com tantos pensamentos, com tantos sapos engolidos e quando extravasados conseguimos enxergar uma luz no fim do túnel.

Geralmente histórias que se passam em um único dia, não conseguem ser muito atraentes em minha opinião, mas a autora conseguiu dar conta do recado e a trama me pegou de tal forma que devorei a leitura. Os personagens se complementarem e o enredo ficou bem trabalhado. 

Eu perdi o rumo traz à tona como o indivíduo mesmo tendo um mundo ao seu redor pode ainda assim se sentir sozinho. Cada personagem se vê diante de suas perdas, mas infelizmente não são todos que conseguem dar uma outra perspectiva para a vida e o que poderia ser pequeno para alguns é um prato cheio para disparar muitos gatilhos. 

Não quis entrar muito sobre o que acontece na história justamente para não estragar a surpresa de quem irá ler, mas se você gosta de leituras que trazem à tona grandes aprendizados, esses personagens irão te deixar várias sementinhas sobre os rumos que a vida podem tomar. 


















    
4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários

  1. Oi Cami, eu amo essas histórias que se passam em um dia porque quase sempre são muito rapidinhas de ler, sem contar que são um santo remédinho pra ressaca literária. Nunca li nada da Gayle mas vejo tantos comentarios positivos sobre esse lançamento que tô super curiosa.

    ResponderExcluir
  2. Eu estou muito curiosa pra ler este livro porque eu amo todos os livros da Gayle e como tenho lido muitos elogios para este aqui, tenho certeza que a leitura vai super funcionar para mim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá Camila!!!
    Não sei porque meu interesse pela escrita da autora se limita a duologia de "Se Eu Ficar" e por isso não me vejo lendo os outros livros dela.
    A história é interessante e até chamaria minha atenção, mas se limita porque não me vejo lendo mais nada da autora.
    Fiquei só preocupada com a questão dos gatilhos e que acaba se tornando algo um tanto preocupante se alguém não sabe lidar.
    De toda forma valeu a dica, mas dessa vez eu passo.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Camila.

    A forma como os personagens se encontram e começam a se completar é totalmente diferente, mas é lindo de ver um ajudando o outro a preencher lacunas que estão vazias em si. Estou curiosa para ler o livro e para conhecer a história de Nathaniel, que foi o personagem que mais me chamou a atenção.

    ResponderExcluir