Resenha: Os Imortalistas - Chloe Benjamin - Editora HarperCollins

Título: Os Imortalistas 
Autora: Chloe Benjamin
Editora: HarperCollins
Páginas: 320
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:


É 1969 no Lower East Side de Nova York e os rumores na vizinhança são sobre a chegada de uma mulher mística, uma vidente que se diz ser capaz de dizer a qualquer um qual será o dia de sua morte.
As crianças Gold – quatro adolescentes que estão começando a conhecer a si mesmos – saem de casa sorrateiramente para saber sua sorte. As profecias informam as próximas cinco décadas de sua vida. Simon, o menino de ouro, escapa para a costa oeste, procurando por amor na São Francisco dos anos 80; a sonhadora Klara se torna uma ilusionista em Las Vegas, obcecada em misturar realidade e fantasia; Daniel, o filho mais velho, luta para se manter seguro como um médico do exército após o 9 de setembro; e Varya, a amante dos livros, se dedica a pesquisas sobre longevidade, nas quais ela testa os limites entre ciência e imortalidade.
Um romance notavelmente ambicioso e profundo com uma brilhante história de amor familiar, Os imortalistas explora a linha tênue entre destino e escolha, realidade e ilusão, este mundo e o próximo. É uma prova emocionante do poder da literatura, da essência da fé e da força implacável dos laços familiares.




Quando li essa sinopse sabia que teria que incluir essa leitura na minha meta desse ano. Com um catálogo que tem me surpreendido cada vez mais, a HarperCollins não perdeu tempo em trazer mais uma obra incrível que nos faz refletir muito sobre a vida. 

Em Os Imortalistas, conhecemos a história de quatro personagens: Daniel, Klara, Simon e Varya. Os irmãos resolvem irem consultar uma vidente que está dando o que falar na cidade e dentre as previsões, ela acaba revelando o dia que eles irão morrer. Para eles seria apenas mais uma daquelas previsões malucas, afinal quem poderia afirmar que eles iriam morrer no dia previsto. 

A partir daí, por mais que tentem seguir cada um com seu caminho, vira e mexe acabam lembrando das previsões da vidente e a história traz sob a perspectiva desses personagens, uma forma de mudarem esse possível acontecimento. 

“Sempre, é assim: a família que a criou e a família que ela criou, puxando-a em direções opostas."

A trama vai se alternando conforme acompanhamos cada um dos irmãos na tentativa de evitar a morte e principalmente como estão lidando com suas vidas desde o momento que tiveram essa revelação, assim como a proximidade dessa data. 

"— Não me importo com relevância. Me importo com a família. Há coisas que você faz por pessoas que fizeram isso por você.”

Dividido em quatro partes, com enfoque nos irmãos, a história se passa inicialmente em 1969, onde tudo começou com a previsão que na narrativa é mostrada através de Varya. 

Com uma passagem de tempo, os irmãos voltam a se reunir devido à perda de seus pais e logo começamos a ficar em suspense a cada parte e se realmente a data prevista irá acontecer na vida deles. 

“O pior aconteceu, e em meio ao vazio da perda está a ideia de que agora há muito menos a temer.”



Vários elementos chamam atenção, principalmente a forma como os anos ao final das partes são diferentes, mas confesso que o tema explorado me deixou um pouco angustiada e mesmo com uma escrita muito fluida por parte da autora é impossível não lamentar, ficar triste. 

Claro que não vou contar exatamente o que acontece com cada um dos personagens porque todos os sentimentos, medos, angustias vividos por eles, vale a pena o leitor conhecer a partir da sua perspectiva na leitura, mas já adianto que é um livro intenso, reflexivo, que irá mexer com sentimentos que talvez você nem imaginaria sentir em uma leitura assim. 

Os temas são bem explorados, mas depois da leitura fica aquela sementinha: será que estamos aproveitando nossa vida de forma plena? Será que seríamos mais felizes ou até menos mesquinhos, egoístas se realmente soubéssemos a data da nossa morte? 

Por causa desses questionamentos, a autora conseguiu com maestria em meio a esse drama nos trazer boas surpresas ao longo do enredo. Trouxe também uma forma de falar de um assunto que por muitos é difícil de encarar, sem esquecer de mencionar outros importantes fatos da nossa história, como atentados e todas as evoluções tecnológicas. 

Os Imortalistas é aquele tipo de livro que te dá aquela sacudida sobre os rumos que damos para nossas vidas. Com um enredo impactante, reflexivo, emocionante sobre a família, com personagens bem construídos e diferente de tudo que você possa ter lido.






5 comentários via Blogger
comentários via Facebook

5 comentários

  1. Oi, Camila!
    A sinopse desse livro me deixa apaixonada cada vez que leio. Essa questão dos quatro irmãos irem atrás de formas de evitar a morte prevista pela vidente é algo que eu imagino ser muito angustiante na história, mas ao mesmo tempo deve dar aquele sentimento do leitor ficar torcendo para que eles consigam. Adorei sua resenha e saber que ele também aborda essa passagem de tempo e tecnologias que surgem com o avançar da história. Espero poder lê-lo em breve. Ótima resenha! Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não tinha visto o livro ainda, mas fico satisfeita em saber que ele nos faz refletir sobre coisas da vida, sem dizer que a premissa é ótima e desperta a curiosidade para saber o que acontece quando a data prevista chega.
    Fico satisfeita em saber que os temas abordados são bem explorados e os questionamentos que a leitura pode levantar são válidos, então é um livro que quero ter o prazer de lr. Adorei a resenha e conhecer esta obra.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bom?
    Eu tenho muita, mas muita curiosidade mesmo de ler esse livro. Achei muito interessante essa premissa e pensar como viveríamos nossa vida sabendo a previsão de nossa morte. Saber o quanto gostou da leitura e das temáticas abordadas, dentre elas o questionamento se estamos vivendo nossa vida plenamente, só me deixou ainda mais curiosa para realizar a leitura. Amei sua resenha ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi! Bom, que diria você se soubesse o dia que fosse morrer, e mais importante, o que faria com o tempo que teria? O que me remete a uma frase do Gandalf, de o Senhor dos Anéis. Eu acho assustador. E lendo a resenha, eu tive a impressão de que os personagens também ficaram apreensivos em certo ponto de suas vidas, se limitando ou se permitindo demais. Enfim, gostei dessa premissa, com esse toque fantasioso dessa vidente. É um livro que está na lista de leituras. Obrigada por compartilhar!


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  5. Oii tudo bem??

    Caramba, caramba, caramba, eu simplesmente não li a sinopse e comprei pela capa, e agora quero pra ontem!!
    Serio eu queroooooo muito iniciar essa leitura, parece d+, fiquei curiosa com o dia da morte deles!
    Espero começar em breve.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir