Resenha: Tarde Demais - Colleen Hoover - Editora Record

Título: Tarde Demais
Autora: Colleen Hoover
Editora: Record
Páginas: 384
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:


Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Ela está presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, e quanto mais os dias passam, mais parece impossível enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar qualquer motivo para se sentir bem. Até Carter surgir em sua vida.
Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo a frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir em sua vida.
A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável.
Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados e Tarde demais prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.




Sempre que tem algum lançamento envolvendo a Colleen Hoover já me preparo para uma leitura intensa, reflexiva, além dos seus inúmeros dramas. Assim que pude comprei o livro e confesso que estou há umas duas semanas pensando sobre o que escrever na resenha, não por dar algum tipo de spoiler, mas até agora estou me perguntando que livro foi esse. 

Tarde Demais conta a história de Sloan, que desde cedo teve que conviver com situações complicadas em família. Fazendo de tudo para finalizar seus estudos, acaba vendo em Asa Jackson, seu namorado uma forma de se manter longe da convivência com sua mãe, dependente química e que não faz nada para ajudar a cuidar de seu irmão. 

Infelizmente, um de seus irmãos faleceu ainda quando ela morava com a mãe e o outro agora permanece aos cuidados do estado e recebe auxílio em seu tratamento em uma clínica especializada. O medo de Sloan que seu irmão possa vir precisar dela é tão grande que ela guarda todas as suas economias, mas se manter não é fácil, principalmente agora que está desempregada. 

Desde que Sloan conheceu Asa, tudo ficou acelerado demais. Ele se apaixonou de cara por ela, mas seu comportamento obsessivo e suas atividades por trás da pele de bom moço logo daria as caras. E Sloan descobriria que Asa na verdade é um traficante de drogas e resolve deixa-lo. 

Inconformado por ter sido deixado por Sloan, Asa resolve armar um plano e usa a condição do irmão da jovem, para trazê-la de volta para morar em sua casa. Agora Sloan precisa conviver com esse relacionamento abusivo em troca de seu namorado pagar os custos do tratamento de Stephen. 

“Chorei por deixar que ele faça isso comigo. Chorei por sentir que não tenho escolha. Chorei por ainda estar com ele, apesar da pessoa que se tornou. Chorei por não ter saída, por mais que eu queira ir embora. Chorei porque, apesar de todas as coisas horríveis em Asa, eu ainda morri de preocupação quando ele não voltou para casa. Chorei porque percebi que não importa quem ele tenha se tornado, uma parte de mim ainda está apaixonada por ele... porque não sei como não estar.”

A vida de Sloan parecia uma intensa rotina desgastante. Estudos, casa de Asa, limpar a bagunça das festas, lidar com o comportamento extremamente desenfreado, ser constantemente estuprada e tentar sair desse espiral destrutivo em que se meteu. 

Até que Carter aparece em seu caminho e Sloan começa a se sentir diferente a cada aparição do seu colega nas aulas de espanhol. Porém, mas uma vez se decepciona quando dá de cara com o rapaz na casa de Asa e eles são apresentados. Carter então seria um dos novos amigos de crime de Asa e mais uma vez a esperança de se relacionar com alguém sem crimes nas costas vai por água abaixo. 

Os dois começam uma amizade e a atração entre eles é inegável, ficando cada vez mais difícil de esconder, tornando-se extremamente perigosa, justamente porque do outro lado da história temos Asa Jackson com todos os seus radares paranoicos e que não deixará passar despercebido qualquer troca de olhares. E as consequências dessa aproximação os levará a um caminho sem volta. 


Colleen Hoover é aquele tipo de autora que mesmo que a leitura não te agrade, torna-se impossível largar o livro e não conferir até o final o destino dos personagens. 

Eu já havia me decepcionado com o final de É assim que acaba, mas confesso que não estava preparada para o tanto de desapontamento que esse livro me causou. Sinceramente, pesou a mão demais nos assuntos polêmicos e a história que tinha tudo para ser uma obra arrasadora, me decepcionou demais. Que lambança! 

Acho que devemos falar sobre abusos, estupros, violência doméstica, feminicídio. São temas polêmicos, que causam discordância, mas que levam a várias reflexões. Mas o que não deu para deixar de lado nessa leitura foi a forma como todos esses assuntos foram narrados de maneira como se no final e principalmente em se tratando de um país com leis rigorosas como Estados Unidos, o personagem simplesmente ir se safando logo de cara diante de provas tão consistentes, isso porque nem estou pontuando quando ele sai impune por quase ter matado o pai a pancadas em pleno local público. Errou feio! 

Outro ponto: Os personagens beiram ao absurdo. A começar com Asa, um cara completamente insano. Tá certo que tem complicações por causa da infância e mais pra frente a autora justifica suas atitudes devido sua condição psicológica. Mas ele não pode ser tratado como vítima e nem hipótese alguma ter sua culpa diminuída. Aqui na minha opinião foi o maior erro de todos que a autora cometeu. 

Sloan me causou duas sensações. No início me compadeci por causa do seu irmão, mas depois fiquei com a impressão de que ela cedia demais ao bombardeio que Asa a colocava, usando seu constante estupro como se quisesse manipular a seu favor. É tão absurdo que dá vergonha de mencionar, porque a autora começa a fazer a gente questionar quem deveria ser a mocinha, sabe?! 

E temos Carter que faz parte do triângulo amoroso e por mais que eu tenha gostado do personagem em alguns aspectos, outras situações fiquei com a nítida impressão de um profissional completamente despreparado, colocando tudo a perder por seu envolvimento, permitindo que Asa saísse impune em várias situações. 

Tarde Demais é o tipo de leitura que ou você ama ou odeia. Por ter uma gama de situações que realmente acontece nos lares de muitas pessoas e a questão por não ter gostado não foi isso e sim a forma como a autora explorou os personagens. Infelizmente comigo o efeito foi negativo, apesar de ter lido bem rápido. A narrativa é toda alternada entre o triângulo: Sloan, Asa e Carter. 

A construção do livro também me deixou confusa e incomodada. O prólogo é ao final, além do epílogo, ainda temos o epílogo do epílogo e todos são grandes, aumentando ainda mais a frustração. Dando a entender que a autora quis reparar algumas coisas no famoso quarenta e cinco do segundo tempo, mas que não foi convincente. 

Ao final me senti perplexa e demorei a acreditar na leitura que havia realizado. Sem dúvidas é uma leitura impactante, com temas muito polêmicos, personagens completamente contraditórios. As cenas sexuais são realmente fortes, causando asco, assim como as explosões de violência. Diria até que poderia ser classificado como Dark ao invés de apenas romance. 

Sinceramente não é um livro que recomendo, mas para que tire suas próprias conclusões e se é fã da autora talvez valha o risco.







10 comentários via Blogger
comentários via Facebook

10 comentários

  1. Oi Camis, tudo bem? Eu não sou grande fã da autora.. Já li alguns livros e não liguei tanto quanto as pessoas que morrem de amores e outros eu gostei mais.
    Engraçado que tenho visto muitas críticas negativas sobre esse livro, e que pena que você não gostou da história.

    Eu nunca tinha lido nenhum enredo como esse da autora e simplesmente gostei bastante. É uma vertente nova que parece ter sido escrita em um bloqueio que ela teve e estava disponibilizando a história aos poucos e de repente se viu com um livro de muito sucesso entre seus fãs. E me conquistou.. Acho que sou do contra! rsrs


    A história é densa, tem muitos sentimentos bons e ruins que transbordam das páginas. Tem mais realidade e sofrimento do que amor e encantamento. Acho que gosto dessa "formula".


    Beijos.

    Além das Páginas.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cá.
    Li os primeiros livros da autora lançados no Brasil e gostei bastante...
    No entanto, com o passar do tempo, fui perdendo a vontade de ler suas histórias.
    Quando eu sento para ler, quero histórias que me cativem e não que me incomodem. Para temas polêmicos e politicamente corretos eu já tenho o trabalho!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Oi Cami, apesar da carta da própria autora no história, fiquei bastante confusa, e concordo contigo, os personagens beiram ao absurdo, no final quando a protagonista quer se vingar do ex namorado... Meu Deus, que coisa mais doentia. Sem contar as inumeras cenas de estupro e abuso.

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila, sua linda, tudo bem?
    Obrigada pela sua resenha. Li vários comentários sobre como esse livro é pesado e bastante explícito nas cenas de abuso e que várias pessoas que inclusive são fãs da autora disseram que nunca leriam esse livro novamente, que a violência foi excessiva. Como sou muito sensível não conseguiria ler um livro assim e agora sabendo sua opinião, tenho certeza de que não é para mim.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Camila!
    Sabe, leio tantas resenhas dos livros dessa autora e já li várias resenhas desse livro, alguns exaltando ao máximo. Mas, sinceramente, a sua foi a mais realista e gostei bastante, porque mostra realmente o que esperar desse livro. Já sei que não será uma história agradável e que não terei vontade de ler.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Oi, Camila!
    Quero te agradecer por essa resenha tão sincera, eu tinha visto muita gente elogiando esse livro e pouquíssimas pessoas dizendo que não gostaram. Mas eu ainda não tinha lido nada tão completo assim e gostei de poder ler a sua resenha. Eu até acho importante autores tratarem de certos assuntos nos livros, mas acho que para tudo se tem um limite porque pode gerar o efeito contrário e em vez de ajudar os leitores que passam por situações parecidas pode acabar piorando.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Os livros dessa autora acabam comigo e realmente ela não tem limites, as vezes precisa e muito. Suas histórias possuem uma linha muito tênue entre crítica e romantização do errado, o que para uns que sabem separar até é bom, para outros nem tanto. Daí eu sempre fico naquela expectativa do fim, é uma angustia. Esse livro eu ainda nem sei se gostei, mas né... Quem sou eu na fila do pão? Adorei a resenha, concordo com ela! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Camila,
    Que pena, ela é uma autora tão elogiada. Por abordar assuntos tão graves e por isso tão importantes para serem discutidos e denunciados, a mão pesada dela acabou desperdiçando o propósito do livro ao afastar os leitores. Acho que esse é o primeiro livro dela que não sinto vontade de ler. Gostei muito da sua resenha sincera.
    bjs.
    Pri.
    https://nastuaspaginas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá, gostei muito da sua resenha, pontuou bem o que não lhe agradou na obra. Esse é mesmo um livro que divide opiniões. Uma pena que, ao que parece, a autora tenha errado a mão nos personagens, eu fico bem dividida entre a curiosidade de ler e tirar minha própria opinião ou nem gastar meu tempo por saber que alguns pontos me desagradarão.

    ResponderExcluir
  10. Oi Camila,
    Eu li dois livros da autora, mas não tenho muita vontade de ler outros, pois, apesar de eu curtir sua escrita, não fiquei muito interessada nos seus novos livros. Conheço uma amiga que já leu Tarde Demais e também não gostou, acho que é normal odiar ou amar esse livro na mesma proporção.
    Mesmo sem ter curiosidade de ler esse livro antes de ler sua resenha, tive certa vontade de ler para ver o que vou achar da leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir