Resenha: As mil partes do meu coração - Colleen Hoover - Editora Galera Record

Título: As mil partes do meu coração 
Autora: Colleen Hoover 
Editora: Galera Record
Ano: 2018
Páginas: 336
Onde Comprar: AMAZON
Sinopse:


Autora best-seller do New York Times aborda relacionamentos e transtornos mentais em uma narrativa que discute os limites do que é normal.
Para Merit Voss, a cerca branca ao redor da sua casa é a única coisa normal quando o assunto é sua família, peculiar e cheia de segredos. Eles moram em uma antiga igreja, batizada de Dólar Voss. A mãe, curada de um câncer, mora no porão, e o pai e o restante da família, no andar de cima. Isso inclui sua nova esposa, a ex-enfermeira da ex-mulher, o pequeno Moby, fruto desse relacionamento, o irmão mais velho, Utah, e a gêmea idêntica de Merit, Honor. E, como se a casa não tivesse cheia o bastante, ainda chegam o excêntrico Luck e o misterioso Sagan. Mas Merit sente que é o oposto de todos ali.
Além de colecionar troféus que não ganhou, Merit também coleciona segredos que sua família insiste em manter. E começa a acreditar que não seria uma grande perda se um dia ela desaparecesse. Mas, antes disso, a garota decide que é hora de revelar todas as verdades e obrigá-los a enfim encarar o que aconteceu.
Mas seu plano não sai como o esperado e ela deve decidir se pode dar uma segunda chance não apenas à sua família, mas também a si mesma. As mil partes do meu coração mostra que nunca é tarde para perdoar e que não existe família perfeita, por mais branca que seja a cerca.



Toda vez que a Colleen Hoover lança uma história fico ansiosa para conhecer o enredo. Com uma história carregada de problemas comuns da sociedade, a autora traz uma família bem diferente e uma protagonista peculiar. 

Merit Voss, tem a mania de colecionar troféus para cada uma de suas decepções. Em um momento de busca sobre qual troféu comprar em uma loja, se depara com um rapaz que não disfarça enquanto a olha do andar de cima da loja. Essa atitude chama sua atenção, porém logo resolve seguir seu caminho. Ao parar em uma fonte para refletir antes de retornar para casa, quando deveria estar na escola, Merit é surpreendida com esse estranho sentando ao seu lado e pouco depois beijando-a, mas o encantamento logo é quebrado e o momento qu deveria ser épico na vida da jovem, passa pelo desconforto quando Sagan fica sabendo que confundiu Merit com sua irmã gêmea Honor.

“Nem todo erro merece uma consequência. Às vezes a única coisa que ele merece é o perdão.”

Com uma rotina cada vez mais sufocante, Merit vive com sua família em uma igreja que seu pai comprou para se livrar do latido do cachorro do pastor e também por ser ateu. Com um ambiente grande o suficiente para caber todos, dentro da casa moram seus irmãos, seu pai com a madrasta e o filho deles. E por mais inacreditável possa ser, a mãe de Merit está morando junto com eles. Após ter tido um grave acidente anos atrás e ter adquirido pânico em socializar com outras pessoas, fora traída em seu casamento com a enfermeira que tem o mesmo nome que o seu, Victoria. 

A família tem um jeito esquisito de levar a vida, seu irmão é um tanto obsessivo com atividades físicas e alimentação. Sua irmã depois de namorar um rapaz que teve uma doença terminal, passou a buscar se envolver com esse tipo particular de rapazes, sendo a última pessoa que seria amada por eles e retribuiria, o que faz com que ela não entenda o real motivo de Sagan estar passando cada vez mais dias em sua casa, algo como se ele não se encaixasse no padrão que Honor busca nos relacionamentos. 

“Estou cansada de dizer coisas que ninguém se importa. Vou parar de falar e, assim quando abrir a boca, minhas palavras terão peso. Agora, parece que sempre que falo, minhas palavras dão a volta e retornam para a minha boca como um bumerangue, e sou obrigada a engolir o que disse.”

Tudo parece ser sufocante demais para Merit e ainda precisa lidar com a questão dos seus pais, os segredos que existe entre eles, fora o fato de cada vez mais perceber que o lar falta amor, carinho, principalmente se for para ela. Que segue cada vez mais sendo deixada de lado por eles. Temos pontos em que parece que ela precisa extravasar os sentimentos guardados e vamos percebendo pouco a pouco alguns sinais de que algo não está bem com Merit. Mas como fazer para melhorar se tudo à sua volta parece ser um completo caos.

“Descobri que a depressão não significa necessariamente que a pessoa está infeliz ou é suicida o tempo todo. Ser indiferente também é um sinal de depressão.” 


As mil partes do meu coração, traz um enredo complexo de uma família completamente desordenada. Confesso que estou tendo certas dificuldades de me aproximar dos personagens da autora. As últimas histórias que foram lançadas aqui no Brasil trouxeram enredos contraditórios, que de certa forma me deixou decepcionada com seus finais. 

Terminei a leitura com a sensação de não saber direito se gostei ou não da leitura, já passaram por isso? 

Percebemos claramente que a autora aborda uma jovem que está passando por dificuldades internas. Falar de depressão não é uma questão fácil, principalmente com personagens um pouco mais jovens. A falta de comunicação entre os familiares só evidência que algo não está bem e eles também demonstram claramente não prestarem atenção em Merit. 

Essa falta de comunicação só faz aumentar todo o abismo, dúvidas e sentimentos nada positivo dentro da personagem, o que pode ser muito perigoso quando uma pessoa está sem perspectiva e se afundando em escuridão. Mas ainda que tudo pareça não ter importância, uma pessoa consegue enxergar Merit. 

Além do drama de Merit, a autora aproveita para nos mostrar um pouco dos problemas de Victoria, mãe de Merit, que sofre de agorafobia. Vemos sua dinâmica ou a falta dela ao morar naquela casa, precisamente no porão e entendemos desde quando tudo começou, sua falta de progressos. 

O enredo em si é bom, a escrita da Colleen Hoover é fluida, mas ultimamente tenho percebido que mesmo trazendo bons temas, falta profundidade em trabalha-los, isso tem dificultado minha empatia com o desenrolar destinado aos seus personagens. 

As mil partes do meu coração é uma leitura que aborda uma das doenças que mais mata no mundo, o modo como é silenciosa e muitas vezes não enxergamos os sinais para ajudar quem está precisando de um alento, de ajuda especializada e que claramente muitos não sabem como pedir ajuda ou querem ser ajudados. Os personagens não são apaixonantes, mas trazem seu alerta. São diferentes, falhos, alguns buscam crescimento e entender seus dramas. Outros persistem no erro, o que torna a leitura ainda mais realista. Para os mais sensíveis a leitura irá mexer com seus sentimentos e certamente causará muitas reflexões. Não foi uma leitura que amei realizar, mas de fato teve um impacto digamos positivo, com aprendizados e reflexivo apesar dos temas abordados. 

DLL19 (Janeiro) – Livro de capa branca.







30 comentários via Blogger
comentários via Facebook

30 comentários

  1. Oiiii,

    Eu tenho um sério problema com a Collen, porque nunca posso pegar um livro dela para ler se tiver outras pendências, porque de tudo a única certeza que eu tenho é que acabarei de ressaca e morrerei de chorar. Eu achei muito interessante a premissa e fiquei curiosa para conhecer esta família complexa e repleta de segredos, e obviamente para saber como as coisas vão dar errado até que venha o aprendizado. Eu anotei a dica aqui e espero poder conferir este ano ainda a leitura.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca li nada desta autora, embora sempre veja ótimas criticas a respeito do trabalho dela. Sabe que esse problema de não se aprofundar no trabalho, vem acontecendo muito hoje em dia,eu trabalho na área literária e percebo que muitos autores não fazem um trabalho mais profundo de pesquisa e desenvolvimento nas obras, o que é uma pena, pois esta perde qualidade grande na trama.
    Sua resenha me deixou bem curiosa, por que a história traz conflitos instigantes. Achei interessante a autora abordar alguma fobia no livro, as vezes as pessoas acham que fobias são bobagens, mas algumas são tão sérias que podem acabar matando quem sofre delas.
    Parabéns pela critica.

    www.fuxicoerabiscos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A autora consegue trazer ótimas reflexões, apesar de nem sempre o enredo no todo agradar, mas é sempre válido fazer a leitura e tirar suas próprias conclusões.

      Excluir
  3. Nossa, gostei muito da premissa deste livro. Não imaginava que gostaria de um livro da autora já que nunca li nada e os que via eram sempre algo que eu não curtia, mas este já me chamou mais a atenção. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que os temas que a autora aborda te surpreendem e a trama te envolva.

      Excluir
  4. nossa, fiquei muito curiosa pra ler esse livro! aliás, algum livro da autora, que sempre vejo falarem bem, mas o assunto desse me chamou muito atenção e sei que vou aproveitar muito bem a leitura.
    a capa também é linda <3
    ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Conhecei recentemente a escrita da autora e foi com o livro Tarde de Mais, que me deixou de queixo caído, então quero ler mais coisas dela. Achei as características dos membros dessa família bem louca,então compreendo a dificuldade em se envolver com eles e super entendo ficar na dúvida se o livro é bom ou ruim, mas ainda que tenha sentido falta de profundidade nos assuntos abordados eu quero ler, ainda mais por falar de depressão.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A autora tem um jeito único de abordar alguns temas e por isso vale muito a pena ler e tirar suas conclusões, afinal cada tema causa em uma pessoa um efeito diferente, né?! Espero que goste da leitura!

      Excluir
  6. Olá, Camila!


    CoHo é uma diva, amo de paixão. Ainda nao li esse livro, mas pelo que você contou me parece ais um dos livros dela que aborda temas muito reais, amo isso nela, geralmente ler algo dele e chorar de ressaca depois..

    bjs bjs até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse não me causou ressaca, mas acho que muita gente consegue se identificar e sentir mais determinados assuntos.

      Excluir
  7. Terminei de ler o livro igual você: gostei ou não???
    Acho que autora abordou muitos temas e não desenvolveu nenhum deles. Fiquei angustiada em muitos pontos da narrativa, porem a escrita da Colleen é muito viciante e as vezes a história nem é boa...
    Enfim, minha opinião sobre o livor é muito parecida com a sua.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também senti isso e nos últimos livros lançados tenho me sentido assim. As vezes tem muitos temas interessantes, mas sempre falta aquele algo a mais pra arrebatar na leitura.
      Espero que os próximos livros eu tire a má impressão.
      Beijos!

      Excluir
  8. Tive a oportunidade de ler outro livro da Colleen e me vi encantada com a forma como a autora me envolveu por sua história.
    Este eu ainda não conhecia, mas me interessei bastante e vou colocar na lista de leitura. Quero ver se este ano me aventuro em novas histórias dela :D

    ResponderExcluir
  9. minha amiga leu e amou eu ja li dois da autora e nao me agradou muito que bom que voce gostou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você não leu a resenha para dizer que gostei, uma vez que nem foi isso que comentei pela leitura realizada.

      Excluir
  10. Oi, Cá.
    Já tem um tempo que desanimei de ler os livros da autora. As histórias dela não me cativam mais... Depois de ler alguns livros, senti que tudo passou a ser meio parecido e eu terminava as leituras meio na deprê!
    Agora, depois de ler a sua resenha, sinto que as histórias dela não são mesmo para mim!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As últimas experiências não tem sido tão positivas em relação aos enredos mas acabo lendo e torcendo para que volta a me cativar.

      Excluir
  11. Oi Camila!
    Eu adoro a escrita da Colleen Hoover e sempre acabo me envolvendo com seus livros.
    Já havia lido algumas coisas a respeito de As mil partes do meu coração, mas nada tão completo como a sua resenha.
    Uma pena a autora não ter trabalhado com tanta profundidade no tema deste livro, porém ainda assim não deixa de ser interessante por conta do assunto que é tratado.
    Vou adicionar a minha lista de desejados, pois quero saber quais são as reflexões que o livro provoca.

    Abraços

    FLeituras

    ResponderExcluir
  12. Eu ouço falar muito dessa autora e por isso adquiri o livro É Assim que Acaba, mas confesso que ainda não tive coragem de ler.rsrs

    Gostei da proposta deste livro pelos temas que serão abordados como a depressão e a agorafobia. Todavia, não sei se chegarei a lê-lo um dia. Primeiro que ainda nem li o que tenho e segundo que você disse que a autora não aprofundou os temas, o que com certeza me desagradaria. Porque penso que se é para falar de assuntos importantes é melhor fazer de uma forma que atinja quem lê, que seja profundo.

    ResponderExcluir
  13. CoHo é um dos amores da minha vida, mas preciso dizer que concordo com você de estar sentindo uma dificuldade de se ligar aos personagens nas últimas histórias. Confesso que odiei Tarde Demais e esse é um livro que eu não sei dizer se odiei, mas não sei dizer se amei também (então realmente eu me vi na sua resenha)! Só resta esperar agora pra ver se os próximos voltam a melhorar, tomara que sim!
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  14. Ola Camila!!

    Eu sou completamente apaixonada pela Colleen e esse livro em si, foi um que eu tive muito medo de ler por conta da sua tematica, porem, quando me vi imersa nesse universo, fiquei completamente envolvida com os personagens!
    Entendo o seu ponto de vista sobre nao saber distinguir a sensação apos a leitura, mas tenho que dizer que no meu caso, me identifiquei 100% com a Merit e seus dramas.

    beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Camila! Tudo bem?
    Eu vou te confessar que, com exceção de Tarde Demais que ainda não li, os livros recentes da Colleen têm mexido muito mais comigo. Assim, ela sempre teve um dom para fazer eu me conectar com seus personagens, mas sinto que nos últimos livros isso se intensificou (principalmente em É assim que acaba).
    Esse, apesar da minha dificuldade em entender a Mérit e sua família disfuncional, também me envolveu desde o início e foi uma leitura que eu gostei bastante. E sobre a falta de profundidade dos temas abordados, no caso desse livro especificamente, foi proposital. Ela sentiu necessidade de escrever algo mais leve depois dos livros mais pesados que vinha escrevendo, mas sem deixar que trazer assuntos relevantes.
    Achei uma pena que você não tenha gostado tanto da leitura, mas adorei conhecer sua opinião sobre o livro e fico feliz que ainda tenha tirado coisas positivas do livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Camila!
    Nunca li nada da autora, mas o enredo desse livro me deixa muito curiosa. Certa vez li uma resenha sobre ele e fiquei bem confusa, pensei até que a blogueira não tinha conseguido expressar bem a ideia do livro. Mas agora, ao ler a sua resenha, percebo que realmente a história em si parece complexa por ser uma família com características muito inusitadas. Fiquei em dúvida se eu iria ou não gostar do livro, mas ao mesmo tempo fiquei ainda mais curiosa para lê-lo. Ótimo texto, parabéns! Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem ?
    Comprei em e-book ontem, mas foi ótimo ler sua resenha. Eu adoro a escrita da autora, mas sempre me devasta. Eu não leio sinopses então sempre entro no enredo no escuro. Mas acabei de perder meu pai, então acho que não vai funcionar muito eu entrar num enredo tão denso assim.
    Mas adorei saber a trama e os aspectos tratados. Ela é ótima pq sempre trás temas que são pouco abordados e de forma muito peculiar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá Camila!!!
    Eu li apenas um livro da Collen Hoover na qual eu amei e meio que tô procurando outros livros dela para ter a mesma sensação.
    Realmente muito dos últimos trabalhos dela não tem sido o que eu esperava vendo o que as pessoas dizem e que amavam a autora, mas mesmo assim deixarei a dica anotada já que nesse livro ela fala de um tema tão necessário para os nossos dias.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem Camila?
    Eu (Yvens) ainda não li os livros da Colleen, mas sei que ela faz um enorme sucesso em nosso país e pretendo conhecer a escrita dela. Eu particularmente gostei da sua resenha, impressões e sinceridade. É uma pena que o livro não te conquistou totalmente!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Apesar de ser uma autora bem comentada, ainda não li nada dela. Tenho um livro aqui em casa e até cheguei a conhecer a autora na bienal de 2015. De todos os últimos lançamentos dela, esse é o que tenho mais curiosidade de ler. Acho que quando o enredo da história é muito forte, sempre ficamos com aquele sentimento de se gostamos ou não da obra como um todo.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir