Resenha: Rumo ao Sul - Silas House - Faro Editorial

Título: Rumo ao Sul
Autor: Silas House
Editora: Faro Editorial
Ano: 2019
Páginas: 272
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.
E se você descobrisse que viveu muito tempo sob perspectivas equivocadas?
E que foi cruel com uma das pessoas que mais amava no mundo?
Essa é a jornada...
Ao sul dos Estados Unidos, numa pequena cidade do Tennessee, o pastor Asher Sharp tem de encarar o seu próprio passado após uma das mais violentas enchentes que aquelas terras já enfrentaram.
Então um casal gay pede abrigo ao pastor após ajuda-lo no socorro a outras pessoas, mas perderam tudo na inundação. Asher se vê diante de um dilema, quer abrigar os dois homens mas encara a recusa de sua esposa. Um fato que vai trazer à tona histórias enterradas de sua própria vida, da rejeição ao seu irmão, que era também seu melhor amigo.
Algo que o faz questionar todos os valores daquela comunidade e tomar atitudes de ruptura, que desencadeiam uma série de outros eventos.
Decidido a encontrar o irmão de quem ele se afastou e nem sabe o paradeiro, desejando salvar o filho de um ambiente asfixiante, ele parte numa viagem rumo ao sul. Um percurso em que toda a sua história é passada à limpo, em meio a belas paisagens, novas amizades e descobrindo um mundo imenso, muito diferente do seu, algo que pôde ensiná-lo sobre as coisas mais profundas da vida.



O Pastor Asher Sharp sempre foi um homem pacato. Ao lado de sua esposa Lydia, sua sogra Zelda e seu filho Justin, presenciaram uma das maiores enchentes com consequências desastrosas em uma cidade do Tennessee. 

Infelizmente muita gente perdeu suas casas, entes queridos e como pastor, Asher não hesitou em trabalhar dias seguidos para ajudá-los a ter um pouco de alento enquanto que para muitos só lhe sobrou a esperança de recomeçar assim que a chuva e as águas abaixassem. 

Justin é um jovem de nove anos. Dono de uma sensibilidade acima do comum, ele sente todas as perdas e ao menor sofrimento de qualquer animal, pessoa, o garoto fica arrasado. Por isso, quando seu cãozinho Rascoe não retorna para casa em um ato de desespero, ele sai de casa para fazer uma busca por seu amigo, porém não consegue encontra-lo, ao invés disso, se depara com dois homens, Jimmy e Steven, que estavam passando apuros em meio a enchente. 

“Às vezes Asher se preocupava com o fato de o garoto conseguir se dar melhor com animais do que com outras pessoas. Outras vezes concluía que isso não seria tão ruim. Se havia algo que aprendera na vida, até então, era que os cães com frequência se mostravam mais amigos do que os homens.”

Jimmy e Steven, são um casal, mas Asher ajuda-os e oferece roupas e comida para eles, o problema maior está quando pedem um abrigo, mas Lydia não os aceita em casa por serem gays. E a partir daí, uma secessão de situações coloca a prova o casamento de Lydia e Asher.

Em poucos lugares as autoridades começam a aceitar o casamento gay e as relações homoafetivas, mas no Tennessee as pessoas ainda teriam um longo caminho a percorrer nesse quesito. O fanatismo delas é tão grande, que acreditam na possibilidade da enchente ter sido algo como um castigo de Deus por essa liberação de algumas autoridades.

“Mas uma coisa tenho que reconhecer, ela é fiel às suas crenças. O problema é que a pessoa pode acreditar tanto em uma coisa até perder a noção do resto.”

E tudo tenderia a piorar, uma vez que Jimmy e Steven começam a frequentar a igreja em busca de uma palavra de conforto e porque não fazerem parte da congregação. A igreja não aceita a presença deles e começa a se manifestarem, por isso, quando liderados por Caleb, uma reunião acontece e a maioria dos votos decidem que Asher não seria mais o pastor deles. 

Transtornado com esse absurdo, um filme passa na cabeça de Asher que já se viu em situação dentro de sua própria família, em que ele se calou e não fez nada para ajudar seu irmão, mas agora, ele estaria determinado a lutar por essas duas pessoas, afinal todos são iguais e não devemos fazer qualquer tipo de predileção. 

“Às vezes as pessoas precisam esquecer, e às vezes perdoar.”

Só que ao passar um ensinamento para os membros da igreja, uma gravação é feita e jogada de forma irresponsável na internet e acaba viralizando e culminando em uma série de provações para Asher que vê seu casamento afundar, deixar de ser pastor, mas ele não aguentaria ter que ficar sem a guarda de seu filho e em um desespero, sequestra o filho e sai de Cumberland rumo a cidade de Key West, que seu irmão deixou pistas de onde estaria, para tentar viver em uma nova vida.


Logo que li a sinopse e vi a News de fevereiro da Faro Editorial, não pensei duas vezes em solicitá-lo. 

Rumo ao Sul, tem uma proposta interessante, trazer à tona algumas reflexões, amor ao próximo e principalmente questionar até onde o fanatismo religioso consegue cegar o ser humano para uma série de temas tão atuais que envolve a sociedade. 

A escrita do autor é gostosa, sensível e muito fácil de fazer, porém é o tipo de leitura que realizamos aos poucos pois é impossível não parar para refletir a cada provação que o pastor vai precisando enfrentar dentro ambiente familiar e na sociedade. 

Confesso que mesmo a abordagem sobre a homofobia tenha ficado em segundo plano em boa parte do livro, o desespero diante da perda na relação entre pai e filho nos deixa com o coração apertado. Torci muito para um destino diferente para Asher e que o diálogo e amadurecimento pudesse ter acontecido entre os pais sem chegar a tantas atitudes extremistas.

Dividido em quatro partes, a Faro Editorial realizou um belo trabalho com a edição dessa obra. A capa é bonita, os capítulos chamam atenção, alguns tem nomes e outros apenas a numeração.

Com uma gama de assuntos e dogmas a serem abordados, Rumo ao Sul, nos proporciona um belo, ou não tão belo assim, vislumbre sobre religião, aceitação, amor ao próximo, intolerância, homofobia, família e fé.






17 comentários via Blogger
comentários via Facebook

17 comentários

  1. Oi Camila!
    Só de ver a capa já percebi que o livro era bom, os valores de algumas pessoas são inversos, esse preconceito que tem no enredo e a reflexão que passa, me deixou curiosa em saber mais sobre os personagens. Parabéns pela resenha, dica anotada, bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente uma leitura que vale a pena conhecer principalmente por trazer tantas reflexões.

      Excluir
  2. Terminei essa leitura ontem. E realmente o livro levanta várias reflexões e umas das coisas que mais me atraiu foi o quesito religioso, pois na minha família tem um misto imenso de religiões misturadas e com isso tantas brigas desnecessárias.

    Sinceramente, gostaria de conseguir fazer meus familiares lerem esse livro e outros como esse, para quem sabe se respeitarem mais, ser menos intolerantes a tantas coisas, pessoas e situações.

    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma leitura que nos faz querer conversar sobre os temas, justamente por trazer essas reflexões que muitas pessoas não abrem a.mente por ja terem opiniões formadas.

      Excluir
  3. Que lançamento agradável. Deu para perceber que a obra nos leva a reflexão e nos mostra que tudo na vida tem que ser na dose certa. Fanatismo não ajuda. Estou errado? Fiquei interessado nessa leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente tem muita coisa pra fazer a gente refletir.
      É uma leitura que vale a pena conhecer.

      Excluir
  4. Oi, Camila!
    Essa parece uma história bem recheada de reflexões, de verdade. A capa já chama atenção pela posição do modelo olhando para baixo e tudo mais, mas nunca imaginaria que possuiria tantos temas importantes e atuais desse jeito. Fiquei curiosa para saber melhor como o autor trata a questão do fanatismo religioso, que parece ser um dos grandes temas da obra, por isso vou colocar na minha lista (que eu já perdi as rédeas, mas quando não).
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor trouxe um grande questionamento religioso e a leitura é bem necessária pra gente refletir.
      Espero que goste!

      Excluir
  5. Está aí um livro que eu gostaria muito de ler! Os assuntos abordados neste livro são muito importantes, pois as pessoas precisam entender que ter uma religião não deve tirar sua humanidade. Que mais do que seguir dogmas, Deus quer que amemos os outros, que nos coloquemos em seu lugar. Mas as pessoas só estão interessadas em regras e julgamentos. E é por isso que o mundo está como está.

    Só não gostaria que o personagem tivesse agido de forma tão extrema, sequestrando o filho. Entendo o desespero dele, como a intolerância das pessoas o levou a este ponto, mas não creio que tal caminho vá lhe trazer algo de bom, sequestrar o filho foi uma atitude drástica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Tb achei que ele poderia tentar outros meios pra conciliar as coisas. Tirando isso, o autor trouxe.boas reflexões que nos coloca de frente com a religião e a atitude das pessoas que tentam justificar seus.atos usando o fanatismo.
      Espero que consiga realizar essa leitura.

      Excluir
  6. Oi, Camila!
    Eu não estava sabendo desse lançamento da Faro, mas me pareceu bem interessante. Precisamos cada vez mais de histórias que retratem a nossa realidade, falando de homofobia, racismo, abuso, etc.
    Diferente de você, não achei a capa bonita, o que é uma pena, pois a editora sempre traz capas lindíssimas.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Cami! Eu imaginei que o nicho sobre homofobia fosse mais utilizado para gerar reflexoes na obra, mas parece que não tanto assim, né? Em todo caso é uma leitura que pretendo realizar pois sei que vai ser forte e necessária. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  8. Olá Camila!!!
    Eu fiquei esperando que o assunto da homofobia seria um nicho mais explorado e que faria o leitor parar e refletir mais. Até mesmo dentro da história achei que ela seria usada com um ar mais assim e que faria as pessoas verem como agiam, mas é uma leitura válida e que traz um assunto necessário já que também temos a questão do fanatismo religioso e como as pessoas atualmente ainda tem muito do mesmo.
    Dica anotada e adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. fiquei curiosa pra ler e saber como a temática - que é bem forte - foi abordada... nao tinha visto nada sobre o livro ainda, mas acho que vale msmo a leitura, justamente por nos levantar questionamentos...
    bjs...

    ResponderExcluir
  10. Eu achei a premissa desse livro muito interessante e fiquei curiosa para ler. Acho que os temas que trata são muito bacanas e com certeza servem de reflexão.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir
  11. Eu ainda não conhecia o livor e adorei esse plote. Muito original e atual quando pensamos em religião e nos limites que o fanatismo pode nos levar a ultrapassar. Já quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir