Resenha: Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente - Editora Globo Alt

Título: Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente
Autores: Igor Pires & Gabriela Barreira
Editora: Globo Alt
Ano: 2017
Páginas: 304
Onde Comprar: AMAZON
Sinopse:


Indo contra a tendência dos textos curtos e superficiais que são postados nas redes sociais, o coletivo literário Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (TCD) passou a produzir e compartilhar um conteúdo extenso, profundo e extremamente poético em suas páginas no Facebook e no Instagram. Com seus escritos e ilustrações, eles acabaram atingindo um público muito maior do que o esperado, nos mostrando como, apesar da crescente agilidade que nossa comunicação exige, ainda precisamos de tempo para digerir e entender nossas complexas relações humanas. Para este livro, foram produzidos textos inéditos que ganharam a companhia das sensíveis ilustrações de Anália Moraes.



Quem nunca sofreu, passou por algum tipo de desilusão amorosa ou simplesmente se identificou com alguma nota ou trecho em que leu em algum livro ou em uma rede social?!

Em TCD, vamos nos deparar com vários trechos, poemas, frases, carregados de sentimento. Dividido em algumas partes com títulos que chamam atenção e outras apenas em capítulos.

“Era como se eu soubesse, por antecipação, o que me aguardava: a vida queimaria de maneira tão bruta que esforço algum seria possível. Viver é uma ferida incurável.”

Ao longo das páginas nos deparamos com uma gama de sentimentos e reflexões sobre o quão duro é passar por fases delicadas das perdas, a marca que deixamos em cada impressa em cada relacionamento e que em muitas vezes não somos o suficiente para sermos lembrados.

Tudo no livro é sentimental, cru e além dos textos, nos deparamos com imagens que nos faz refletir sobre esse espiral de dor que muitas pessoas são submetidas bem como, a dificuldade que muitas encontram em lidar e seguirem em frente.

“Como suturar essa parte minha que ainda chama teu nome quando sei que você já até se esqueceu de como sussurrar o meu?”

Pesar, medo, dor, angústia, tantos sentimentos que ficam incrustados na pele e no coração daqueles que padecem e constatam a incapacidade de levarem seus relacionamentos adiante. 

Mas não é só de dor que o ser humano é representado e é possível sentir em algumas partes do livro, a mensagem de saudade, esperança, uma injeção de ânimo sobre a importância de se ter amor próprio.


Por ser um livro que traz tantas mensagens é impossível selecionar os textos e comentá-los separadamente, mas ao final fica nítido o quão precisamos independentemente de vivermos decepções ou não, olharmos para dentro, nos conhecermos, saber que mares estamos navegando e sobretudo a importância de estarmos em paz com nosso coração e nossa mente.

Como tenho gostado de inserir em minhas leituras cada vez mais esse tipo de livro, não perdi a oportunidade de comprar um ebook que estava na promoção e degustar aos poucos essa obra. Infelizmente para alguns leitores, os capítulos, que trazem uma realidade nua e crua, podem se tornar difícil a continuação da leitura, justamente por trazer alguns gatilhos.

Não foi uma leitura fluída e não me senti ávida à medida que fui lendo, mas em algumas partes a conexão estava por lá e isso me fez dar continuidade à leitura. Sem dúvidas não é o melhor do gênero, mas tem seu valor.

Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente, foi publicado pela Globo Alt e se tornou um sucesso de vendas e já conta com o seu sucessor que pretendo ler em breve.







1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Quero ler esse livro, tenho visto tantos comentários nas redes sociais que é impossível não desejar conhecer

    ResponderExcluir