Resenha: Geekerela - Ashley Poston - Editora Intrínseca

Título: Geekerela
Autora: Ashley Poston
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 384
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:


Um divertido romance que traz a clássica história de Cinderela para os dias de hoje.
Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas.
Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário.
Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.




Em uma versão mais moderna do clássico conto de fadas da Cinderela, Geekerela nos apresenta Danielle, ou mais conhecida como Elle Wittimer, que teve desde pequena com influência se espelhar no trabalho de seu pai, que falecera precocemente. 

Com essa perda, ela passou a viver com a madrasta e as irmãs. Assim como no conto original, ela passa a fazer todo o trabalho de casa, é considerada uma verdadeira pedra no sapato por parte das outras mulheres da casa.

“Apontar para as estrelas. Mirar. Disparar.”

Grande fã de seriados sci-fi, considerada nerd, Elle fica perplexa e temerosa com a notícia de que Starfield irá ganhar um remake. Assim que alguns papeis começam a ser definidos para o elenco de sua grande paixão, Elle escreve uma matéria em seu blog dedicado à Starfield que o rapaz que fará o papel de Carmindor não seria uma boa escolha para interpretá-lo, por ser conhecido por interpretar papeis considerados teen e de pouco sucesso.

Persistente e cautelosa, Elle sempre aguentou tudo dentro de casa, trabalhando em um food truck vegano, o Abóbora Mágica, assim que fica sabendo que terá um concurso de cosplay que renderá uma grana, dando oportunidade para conseguir sair de casa e viver sua vida longe de sua madrasta. 

''Não vou dizer que ela é perfeita nem que é a garota mais linda que já vi, mas, quando olha para mim, ela é a melhor parte do universo.''

Do outro lado da história conhecemos Darien Freeman, o ator que tem a difícil missão de interpretar Carmindor na série. Por ser grande fã de Starfield, ele sente medo de não estar à altura do personagem, se cobra muito por tudo isso. Ele sente que sua vida está correndo por suas mãos há um bom tempo, pois nesse meio do show bussiness e com um pai empresário, acaba não tendo muita voz e com isso tenta fugir do evento que terá que comparecer e a partir daí a história ganha força.

Ao enviar uma mensagem recuando do evento, Elle que recebe a mensagem no telefone dele que está com ela e também porque foi o grande fundador da ExcelsiCon. E por serem grandes apreciadores da Starfield, passam a conversar diariamente via mensagens, criando um vínculo de amizade super envolvente.

''Nunca desista dos seus sonhos, e nunca deixe que digam que seu amor é inconsequente, inútil ou uma perda de tempo.''


Desde que vi o lançamento desse livro achei o título interessante e a capa muito bonita, mas inicialmente imaginei que poderia sentir dificuldades em conseguir prosseguir na leitura por não ter sido cativada imediatamente. Mas para minha surpresa, o enredo foi me ganhando e crescendo de tal forma que quase na metade do livro para o fim não consegui largar a leitura.

Por se tratar de uma releitura mais moderna, vemos claramente como esses dois jovens se questionam e tentam ter o controle de suas vidas, apesar de achar que demorou muito para que pudessem realmente ver alguma tomada de decisões. 

Assim como nós, os personagens mostram claramente seu amor por seriados. Nesse ponto me senti completamente cativada sobre as trocas de mensagens.

O enredo também conta com personagens secundários que se mostraram muito importantes para que o enredo tivesse um pouco mais de força. E preciso destacar Hera, a jovem que trabalha no Abóbora Mágica. Prestem atenção em suas aparições, ela tem muito a inspirar e cativar o leitor por sua autenticidade. 

A escrita se mostra fluida e de fácil entendimento. Confesso que não conheço praticamente nada do universo geek e suas nomenclaturas, mas consegui acompanhar, me sentir envolvida e dar algumas risadas ao longo da leitura. Temos uma dose bem leve de romance e de drama familiar.

Com todos os elementos de um conto de fadas, Geekerela me ganhou pela nova roupagem, mas sem esquecer das características principais da releitura. Então, temos baile, príncipe, madrasta, abóbora e até adição inusitada de um cachorro salsicha.

Geekerela faz parte do catálogo da editora Intrínseca. Uma ótima dica para quem é fã de releituras, mas que não abre mão de um enredo criativo.

DLL19 Março | Livro de conto de fadas.




1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Que livro amorzinho ♥. É tão amorzinho e eu não estava esperando isso. Sendo sincera esperava uns dramas desnecessários e que no final eu acabasse detestando o livro por algum motivo besta e ficasse frustrada porque não obtive minha dose de açúcar em livros faz um tempo, sim criei toda uma teoria mental do que ia acontecer. Porém, contudo, todavia eu estou muito feliz em dizer que não foi isso que aconteceu e que EU APENAS AMEI O LIVRO. Foi tão bom, tão simples e tão honesto que quero fazer todo mundo ler. É sério, todos leiam.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir