Resenha: Luz, Câmera e Amor - Aline Sant'Ana - Editora Charme

Título: Luz, Câmera e Amor 
Autora: Aline Sant'Ana
Editora: Charme
Ano: 2019
Páginas: 364
Onde Comprar: LOJA DA EDITORA | Amazon
Sinopse:


Sou Evelyn Heyley, atriz de Hollywood, e você provavelmente já ouviu meu nome em algum lugar. Batalhei anos para consolidar minha carreira e me orgulho muito de todos os projetos que abracei com amor.
Mas, agora... estou prestes a receber a oportunidade da minha vida: um longa-metragem inspirado no romance da autora bestseller Shaaron W. Rockefeller.
E é claro que vão me dar um par romântico incrível. Provavelmente um nome que Hollywood ama, como o Thor, da Marvel, ou até o novo James Bond.
Ao menos, era o que eu esperava.
Assim que a porta da sala de reunião se abriu, revelando o rosto estupidamente bonito daquele ator, com um perfume impactante e uma beleza digna de irritar os deuses, eu soube que meus planos tinham ido por água abaixo.
O que era a minha chance do Oscar acabou se tornando um desastre cinematográfico.



Evelyn Heyley, vem se destacando a cada dia mais nos papeis que interpreta. Com isso, ela recebe uma proposta de uma grande produção Hollywoodiana, onde fará o papel de Nancy na adaptação do livro ‘Recorde-se antes de eu partir’.

O roteiro tem grande potencial para ser indicado aos maiores prêmios da indústria cinematográfica, mas Evelyn ao descobrir que Chuck Ryder faz parte do elenco e será seu par romântico no filme a deixa com pé atrás, justamente por não gostar da forma mecânica com a qual interpreta seus personagens. 

Chuck Ryder é um astro, já interpretou grandes papeis e sua vida pessoal parece sempre estar nos holofotes, tudo isso por causa da sua namorada Meg, que não perde a oportunidade de aparecer nos eventos ou tirar algum proveito da imagem dele. Mas algo em Chuck, não soa bem e por não demonstrar as emoções na hora de interpretar seus personagens, faz Evelyn duvidar de sua capacidade para se entregar a esse papel. Chuck é determinado e chama Evelyn para realizarem uma cena do filme como teste e prova para sua colega que pode ser tão bom quanto ela. 

“— Eu não poderia resistir a você, Evelyn.

Meu coração se apertou, sabendo que foi um caminho sem volta que tomamos. Já sentia sua ausência, já me sentia uma peça mal encaixada de um quebra-cabeça.”

A partir daí, fica um clima esquisito entre eles, principalmente nos bastidores. Isso deixa Evelyn chateada, pois está acostumada a ser amiga de todos, mas algo não soa bem em Chuck e a sensibilidade dessa atriz perceberá que há muito mais por trás daquela frieza que seu colega de trabalho tenta demonstrar.

Tudo parece tranquilo, o roteiro seguindo sem maiores complicações. Evelyn interpretando o papel da enfermeira Nancy e Chuck se saindo muito bem no papel do militar Michael. Até que o diretor informa que vão precisar gravar algumas cenas mais íntimas, antes de viajarem para realizar as cenas externas na África. E a atração que antes estava contida, vem à tona, misturando-se com a profundidade do roteiro. 

“Com calma, sua boca encaixou-se na minha, sua língua pediu espaço, que eu dei com vontade. Fui amada dentro de um beijo, fui desejada por suas mãos, fui cobiçada pela sua voz que murmurava, a cada troca de respiração.

Fui arrematada por Chuck Ryder.

E nunca me senti tão feliz.”

Evelyn sabe que precisa recuar, afinal Chuck tem um relacionamento e não é certo se colocar no meio dessa situação, e por mais que ele também esteja apaixonado por ela, precisa resolver sua vida que envolve não só o relacionamento com Meg, mas um grande segredo que pode destruir tudo o que ele conseguiu em sua carreia e só assim se entregar a esse sentimento puro, verdadeiro e motivador que nunca vivenciou. 

“Vou persistir, até quando você duvidar. Vou insistir, até quando você pensar em abdicar. Porque é isso que um homem de verdade faz. Ele vai atrás, ainda que a única pessoa que precise acreditar em sua palavra, decida se afastar.”


Antes de qualquer coisa vamos falar da edição. Não me surpreende que a cada livro lançado por essa equipe seja um primor. O projeto gráfico é lindo e não é só a capa que chama atenção. O marcador nos remete a um ingresso de cinema, a diagramação é luxuosa. A história é dividida em meses e nessa parte temos um pedacinho do trecho do livro que está sendo adaptado para o filme. 

Mais uma vez a Aline Sant’Ana nos traz um enredo rico, bem construído e muito envolvente. Estou apaixonada por essa história e pela maestria em como foi conduzido, porque não é nada fácil contar uma história, agora imagine contar uma história dentro de outra história sem se perder na cronologia dos acontecimentos e ainda assim deixar a leitura gostosa e dinâmica.
Aline não economizou na descrição dos cenários e me vi apaixonada pela África. Que riqueza de detalhes, consegui viajar com os personagens e sentir cada ambiente descrito.

Além do papel que os personagens interpretam no filme, vamos conhecendo aos poucos suas vidas fora dos holofotes. Evelyn é amorosa e sua família é bem divertida. Sua mãe e irmãs são o ponto alto de várias cenas, deixando evidente a importância de se ter uma boa base familiar. Chuck é o tipo de personagem que mesmo com sua frieza inicial nos encanta, mas quando conhecemos seu passado, os segredos e por tudo que viveu, entendemos suas escolhas e fica impossível não torcer para que consiga se livrar das amarras e dos obstáculos que precisou se colocar. 

Nunca uma frase fez tanto sentido em um livro. Se por trás de um grande homem temos uma grande mulher, aqui é nítido o quanto Chuck cresceu, superou obstáculos e brilhou como homem após Evelyn surgir na sua vida. Juntos eles são simplesmente lindos.

Luz, Câmera e Amor é o lançamento de fevereiro da editora Charme e entra para os meus favoritos. Com algumas surpresinhas e um final de derreter corações, a história tem uma proposta diferente e que deu super certo. Um enredo repleto de sentimentos que vão se misturando a medida que vai sendo contada e nos mostra que a vida pode sim imitar a arte. 

Um romance para se emocionar, se apaixonar e suspirar.






3 comentários via Blogger
comentários via Facebook

3 comentários

  1. Oieeee.
    Esse livro é tudo de gostoso.
    Adorei a trama dele, parece bem envolvente.
    E esse Chuck hein? Se eu fosse teria dado um tapa nele hahahahaha
    Adorei o fato da autora usar de uma filmagem de filme para escrever a história, achei criativo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cá.
    Amei a dica. O livro parece ser super delicinha e estou curiosa para conhecer o trabalho da autora, de quem tanta gente fala bem!
    Fui olhar na Amazon e vi que ainda não tem em ebook, mas vou deixar na lista de desejos para quando sair a versão digital!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Eu acho muito bacana quando vemos uma historia dentro de outra historia e as duas são envolventes. Fiquei bem curiosa em como a autora administrou isso no enredo e já quero ler.
    beijos

    ResponderExcluir