Resenha: The Chase - Elle Kennedy - Editora Paralela

Título: The Chase - A Busca de Summer e Fitz
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Ano: 2019
Páginas: 300
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.



Bem-vinda de volta aos jogos de hóquei e às festas da Universidade Briar! No primeiro spin-off da série Amores Improváveis, conheça a apaixonante e misteriosa Summer, irmã de Dean.
Todo mundo diz que os opostos se atraem. E deve ser verdade, porque não tem nada que explique minha atração por Colin Fitzgerald. Ele não faz meu tipo e, o pior de tudo, me acha superficial. Essa visão distorcida que ele tem de mim é o primeiro ponto contra. Também não ajuda que ele seja amigo do meu irmão.
E que o cara que mora com ele tenha uma queda por mim.
E que eu tenha acabado de me mudar para a casa deles.
Mas isso não importa. Estou ocupada o bastante com uma faculdade nova, um professor que não larga do meu pé e um futuro incerto. Além do mais, Fitzy deixou bem claro que não quer nada comigo, embora tenhamos uma química de dar inveja a qualquer casal. Nunca fui de correr atrás de homem, e não vou começar agora. Então, se o meu roommate gato finalmente acordar e perceber o que está perdendo…
Ele sabe onde me encontrar.


Após ser expulsa por incidente misterioso em que ela foi culpada por colocar fogo em uma casa da fraternidade na Brown, seu pai mexeu alguns pauzinhos e Summer Di-Laurentis foi aceita a ingressar na Universidade Briar.

Com uma reputação manchada, as garotas da fraternidade Kappa Beta Nu, lideradas por Kaya, não aceitam que Summer mesmo com o histórico familiar dentro da fraternidade, more com elas. 

“Não são os namorados que definem uma mulher. São as conquistas delas. E os sapatos.”

Chateada, sua saída é pedir ajudar a seu irmão recém-formado Dean. Os dois sempre se deram bem e ele promete lhe ajudar a arrumar algum lugar para morar sem que precisem pedir reforços dos pais. Mas como as aulas só começaram dali a alguns dias, Dean convida Summer para passarem o réveillon juntos de seus amigos. 

Quando escuta quais amigos estarão na festa, Summer logo se agita pela possibilidade de reencontrar Fitz, a quem sempre nutriu sentimentos. 

“Mas que culpa tenho? Colin Fitzgerald é simplesmente um deus. Um deus alto, sensual e todo tatuado, por quem tenho uma quedinha.”

Fitz é amigo de Dean e apesar de jogarem hóquei juntos, ele é mais novo, por isso ainda está cursando algumas matérias na Briar e divide o apartamento com seus colegas Hunter e Mike. Como estão precisando de mais uma pessoa para dividirem o aluguel, eles aceitam o pedido de Dean e Summer passa a morar com eles.

Os rapazes são amigáveis, mas dividir o mesmo espaço com Fitz se torna cada vez mais difícil, principalmente depois do fiasco que foi ao ouvi-lo conversando com Garrett na festa de final de ano deixando claro que achava Summer atraente, mas que não se encaixa no seu estilo por ser fútil. Por isso ela não perdeu tempo e passou a virada com Hunter.

“Não sou fã dos meus próprios pensamentos. Eles tendem a ser um misto de insegurança, dúvida e autocrítica, com uma pitada de excesso de confiança injustificada. Minha mente é um lugar confuso.”

Conforme os dias vão passando, Summer encara mais uma etapa das dificuldades de ter TDAH. Mesmo que tenha aparato de alguns professores, para ela é um martírio ter que organizar suas ideias no papel, vira e mexe se coloca pra baixo. E com a convivência, Fitz acaba ajudando, mas não antes dos dois baterem de frente e colocarem os pingos nos is.

Colin Fitzgerald, apesar da inteligência, habilidades com desenhas e programar seus jogos, não tem o menor tato na hora de expressar seus sentimentos. Com um passado turbulento, passou a infância sendo jogado de um lado para o outro nos diversos conflitos de seus pais. Por isso para ele é mais fácil observar, do que ser o centro das atenções e não expressar o que está sentindo é uma de suas especialidades, e claro que refletiria no que Summer o faz sentir. 

A atração entre os dois é palpável, mas essa falta de comunicação de Fitz e o medo de apostar em um relacionamento pode colocar tudo a perder, principalmente quando Hunter demonstra que Summer é a garota que ele deseja.



Estava com saudades dessa galerinha e da escrita da autora.

The Chase – A busca de Summer e Fitz é primeiro livro da série Briar e spin-off da série Amores Improváveis. Portanto, já adianto, a história é repleta de spoilers. 

Elle Kennedy nos apresenta dois personagens bem diferentes. De fato, Summer que é super descolada, com facilidade para se comunicar, fazer amizades, e brigar pelo que acredita, é tudo o que Fitz não consegue ser, uma vez que para ele ser descolado, falar em demasia, ser o centro das atenções, não faz seu estilo. 

Ao longo da narrativa que é alternada entre o casal, acompanhamos a evolução de ambos e fica nítido que precisam um do outro para estarem em equilíbrio. Uma coisa que adorei foi o fato de Summer não mudar sua autenticidade para se adequar a Fitz e esse jeito dela, acaba ajudando-o a se abrir ao invés de esconder seus sentimentos.

Temos a oportunidade de rever alguns personagens como Garrett (sempre com bons conselhos), Dean (o irmão protetor) e Tucker (em um momento fofo com sua filhinha).

Conhecemos novos personagens e Brenna, a filha do treinador do time de hóquei, já mostra ao que veio com sua amizade, tiradas engraçadas e já me sinto curiosa para saber mais dessa personagem. Torço para que tenhamos um livro sobre ela. 

Mais uma vez Elle Kennedy nos traz o ambiente universitário que eu adoro. Com capítulos curtos e fluídos, a escrita já conhecida se torna ainda mais especial. Mesmo que o romance nesse caso tenha demorado um pouco mais para se definir, The Chase, é um new adult que se mostra envolvente, e aborda temas interessantes, além das festas, pegações e as dificuldades que os alunos sentem nesse momento da vida. Temos dramas familiares, conhecemos um pouco mais do TDAH, nos revoltamos com a atitude do corpo docente da universidade. 

Esse é o tipo de leitura que realizamos em uma sentada só. Finalizei em um dia e fiquei com gostinho de quero mais. Agora é torcer para que em breve o segundo volume apareça por aqui, por isso se você ainda não conhece os livros da Elle Kennedy está perdendo uma ótima oportunidade de rir, se divertir e se apaixonar por todos os seus personagens.

As duas séries fazem parte do catálogo da editora Paralela. A capa é bonita, a diagramação é simples, com folhas amareladas e fonte confortável para leitura. 

DLL19 Abril | Livro que termine em um dia.






3 comentários via Blogger
comentários via Facebook

3 comentários

  1. Oii, tudo bem?

    Achei interessante o fato de o TDAH ser trabalhado na trama, não costumamos ver este tipo de construção dos personagens. Gosto do fato de o livro ir alternado entre o ponto de vista dos mocinhos, pois fica mais clara a evolução de ambos. Este parece ser um livro muito amorzinho, e estou ansiosa para começar a leitura.

    Obrigada por compartilhar!!
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Tenho lido muitas resenhas positivas desse livro.
    Eu fico com pena da protagonista por ser tão mal aceita na sociedade, mas parece-me que ela aprontou bastante!
    Quero muito ler esse livro, mas antes quero ler a série anterior para não pegar nenhum spoiler.

    ResponderExcluir
  3. Acho que a escrita da Elle é realmente viciante porque você começa a ler e só para quando acaba, mesmo que a história não seja incrivelmente original. Eu li este livro semana passada e encontrei alguns furos nele. Confesso que me irritou a autora tentar incutir um discurso feminista no enredo e não desenvolve-lo.
    beijos

    ResponderExcluir