Resenha: O Destino das Terras Altas - Hannah Howell - Editora Arqueiro

Título: O Destino das Terras Altas - Os Murrays #1
Autora: Hannah Howell
Editora: Arqueiro
Ano: 2019
Páginas: 272
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.


Em O Destino das Terras Altas, primeiro livro da série Os Murrays, Hannah Howell nos apresenta o esplendor da Escócia medieval com uma saga de guerra entre clãs, lealdades divididas e amor proibido.
Quando o destino coloca Maldie Kirkcaldy na mesma estrada que sir Balfour Murray e seu irmão ferido, ela lhes oferece seus serviços como curandeira. Ao saber que tem em comum com sir Balfour um juramento de vingança, decide seguir com ele para cumprir a sua missão.
Mas ela não pode lhe revelar sua verdadeira identidade, sob o risco de ser acusada como espiã. Enquanto luta para negar o desejo que a dominou assim que viu o belo cavaleiro de olhos negros pela primeira vez, Maldie tenta a todo custo conservar o aliado.
Balfour, por sua vez, sabe que não pode confiar nela, mas também não consegue ignorar a atração que nasceu entre os dois. E, ao mesmo tempo que persegue seu objetivo de destruir Beaton de Dubhlinn, promete descobrir os segredos mais profundos dela e conquistar o seu amor. Para isso, não deixará que nada se interponha em seu caminho.




No primeiro livro da série Os Murrays, conhecemos a história de Balfour e Maldie, assim como ficamos por dentro da briga que se estende por muito tempo entre os maiores clãs da Escócia, os Murrays e os Beatons. 

O pai de Balfour, senhor Donncoill, se envolveu em um caso com a esposa de sir William Beaton e desse relacionamento deu-se o nascimento de Eric, porém o senhor Dubhlinn, não queria um bastardo crescendo em seu lar, principalmente um com sangue Murray, e abandonou-o em uma das terras que dividia o território. O que ele não contava é que o senhor Donncoill encontrasse a tempo e lhe dera abrigo. 

Assim, Eric se fortaleceu e foi cuidado. Com o passar dos anos e agora com seus treze anos, Eric passa por mais um apuro quando é sequestrado por Beaton. 

"Como bem sabe, não tive acesso à riqueza e ao conforto do qual o senhor desfrutou a vida inteira. O mundo em que fui criada era mais difícil. Sim, os homens parecem pensar que uma mocinha pobre ficaria feliz em fazer qualquer coisa para receber uns trocados, ou mesmo só para satisfazê-los, já que se julgam superiores."

Beaton é temido por todos de seu clã. Suas ações são sempre desprezíveis e o sequestro de Eric só tem um intuito, integrar o jovem como seu herdeiro sob alegações de que quando concebido seus ciúmes o fizeram cometer tais atos. Com isso daria mais força para uma nova briga entre os clãs. 

Balfour Murray não aguenta mais essa situação que se estende por anos e decide reunir seu clã, para resgatarem seu irmão caçula, Eric. Junto de Balfour, Nigel o acompanha, mas Beaton não está despreparado e logo que parte rumo as terras inimigas são surpreendidos com uma emboscada. 

A confusão se instala, Nigel e muitos se machucam, porém, logo uma jovem oferece ajuda ao grupo e passa a cuidar dos feridos. 

Essa jovem é Maldie Kirkcaldy. Com a perda precoce de sua mãe, vive solitária e sempre muito misteriosa, mas também é determinada. Seu passado foi muito difícil, mas uma promessa feita, faz com que ela seja determinada e esconda seu propósito e com a aproximação com os Murrays, sua esperança de se aliar ao clã e conseguir êxito para executar uma vingança contra Beaton. 

"Maldie Kirkcaldy guardava um ou dois segredos, e ele ia fazer de tudo para descobri-los, mesmo enquanto se esforçasse para satisfazer o desejo que sentia por ela.”

Maldie cuida incessantemente de todos os feridos em Donncoill, mas o que ela não esperava, é que atrairia a atenção de um determinado Murray. Balfour é desconfiado, mas não esconde seus desejos e a cada dia fica mais difícil resistir as sensações que esse homem lhe desperta. 

O romance entre os dois acaba sendo inevitável, porém uma reviravolta acontece colocando a jovem como suspeita de vazar informações para o clã Dubhlinn. A decepção de ser acusada por Balfour é grande e só teria duas saídas: revelar seu passado e seus motivos contra Beaton ou seguir com um plano colocando-se em risco, tudo isso para se livrar dessas terríveis acusações. 

Será que valeria a pena seguir de modo tão inconsequente? 

“Seria difícil arrancar Balfour dos pensamentos e do coração. Ela o amava além da própria compreensão. Estava dilacerada por ter que sair de Donncoill daquele jeito, talvez abrindo mão de qualquer chance de ficar com ele, mas não podia voltar. Se Balfour realmente a quisesse, não precisaria se esforçar muito para encontrá-la.”


Logo que vi essa capa morri de amores e como não escondo minha preferência por romances de época não perdi tempo em solicitá-lo. Mesmo tendo outros livros da autora na estante, ainda não tinha conseguido conhecer sua escrita e a proposta de uma narrativa em que se passa na Escócia, com uma pegada medieval e personagens Highlands me deixou completamente animada para iniciar a leitura. 

O destino das Terras Altas é o primeiro livro de uma extensa série, Os Murrays, então ainda não sei ao certo como será essa divisão por parte da editora e assim que tiver mais informações eu conto para vocês. 

Como é comum no início de uma série, somos apresentados aos clãs, alguns personagens secundários e nos aprofundamos no casal Balfour e Maldie. 

Em relação aos personagens confesso que Balfour me deu um pouco nos nervos por seu jeito. Apesar de um bom líder para seu clã, quando o assunto é Maldie fica claro sua indecisão. Por vezes o leitor irá perceber suas explosões, seu modo grosseiro e em outras se mostra um homem carinhoso. O típico cara que fica em cima do muro. Ele claramente a ama, mas na hora de tomar uma decisão empaca. Ele a quer e não sabe se confia. Deseja que vai embora e logo demonstra medo se ela partir. Bem louquinho de pedra. 

Já Maldie apesar de ser uma jovem misteriosa, me simpatizei instantaneamente com seu jeito, mesmo que suas ações iniciais fossem porque queria ter aliados, gostei da interação com os personagens mais próximos do círculo, como Nigel Murray (protagonista do próximo livro da série). 

O Destino das Terras Altas foi escrito há alguns anos e lançado nos famosos livros de banca. É notável um romance um pouco mais raso e acelerado, assim como a abordagem de temas irrisórios ao longo dos capítulos. A narrativa também não é tão fluida, em algumas partes foi bem arrastada e demorei um pouco mais que o esperado para concluir a leitura. Amei o personagem Nigel e confesso que se ele tivesse ficado com Maldie teria gostado mais, então já sigo animada para conhecer a história dele. 

Apesar das brigas entre os clãs e conflitos extensos, o leitor não deve esperar nada extraordinário, mas elas estão por todas as partes, porém, imagino que ficará cansativo, uma vez que a série tem uma média de uns vinte livros. 

Publicado pela editora Arqueiro. A edição impecável com uma capa belíssima, traz uma história um pouco abaixo do esperado. Mas como fã do gênero seguirei acompanhando a série e torcendo para os próximos livros com outros casais me surpreenda positivamente.






5 comentários via Blogger
comentários via Facebook

5 comentários

  1. Olá, tudo bem? Que capa mais linda! Ainda não conhecia esse livro, mas pela premissa pareceu-me ser uma obra bem interessante. Confesso que fiquei um tanto assustada quando vi que a série é composta por uns 20 livros, haha. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. A editora sempre trazendo livros incríveis. Estou louca para ler essa série, chateada que já não sou mais parceira deles. Mas vou comprar assim que conseguir. ♥ Acho essa capa muito bonita!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro, mas amo romances com reviravoltas e quero saber se valeu a pena essas inconsequências. Nem preciso dizer que eu amava romance de banca, então essa é uma proposta muito bem vinda. Uma série que pelo visto promete ganhar muitos corações e que eu quero ler.

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila!
    Adoro os livros da Hannah, tenho alguns livros que são meus xodós. Esse ainda não li, adorei a capa estou empolgada para ler pois se trata de ser de época e medieval. Parabéns pela resenha fiquei curiosa sobre esse livro e por ser uma série, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Li um livro desta autora em formato banca e achei essa capa a coisa mais linda do mundo. Só pela capa já quero ler e ter o livro na estante.
    beijos

    ResponderExcluir