Resenha: Marionete - Daniel Cole - Editora Arqueiro

Título: Marionete - Fawkes e Baxter #2
Autora: Daniel Cole
Editora: Arqueiro
Ano: 2019
Páginas: 352
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Ebook recebido em parceria com a editora.


MARIONETE É A CONTINUAÇÃO DE BONECO DE PANO, QUE FOI ESCRITO ORIGINALMENTE COMO PILOTO PARA UMA SÉRIE DE TV.
A excelente coadjuvante do livro Boneco de pano, a detetive Emily Baxter, é a protagonista desta continuação em busca de um serial killer.
Muitos meses se passaram, mas a detetive Emily Baxter ainda lida com as cicatrizes do chocante caso Boneco de Pano e com o desaparecimento de seu amigo William Fawkes, o Wolf.
Apesar da relutância em se envolver em outra investigação horrenda, ela é convocada para uma reunião com o FBI e a CIA, onde é surpreendida com fotografias macabras de um corpo retorcido em uma pose familiar, pendurado na ponte do Brooklyn, com a palavra "isca" entalhada no peito.
Logo em seguida, uma nova vítima surge em condições idênticas. Só que, dessa vez, o corpo do assassino também se encontra na cena do crime, com a palavra "marionete" entalhada no tórax.
Quando a pressão da mídia e da opinião pública se intensifica, Baxter recebe a ordem de cruzar o Atlântico e ajudar na investigação. Enquanto as mortes se multiplicam tanto em Nova York quanto em Londres, a força-tarefa se vê impotente e Baxter precisa vencer o medo que a paralisou no último ano para impedir o sacrifício de mais vidas.





Após os crimes brutais no caso Boneco de Pano, a inspetora-chefe se depara mais uma vez com casos demonstrando grande engenhosidade e que tem chamado atenção da polícia dos EUA. Através dos agentes Curtis e Rouche, Baxter conhece o caso antes que venha a público de um homem morto, suspenso por fios, assemelhando-se a uma marionete e para horror das lembranças da inspetora, o nome da vítima é William Fawkes. 

“Quando estamos sob ataque, é necessário mostrar força. Precisamos provar ao mundo que nós podemos lidar com nossos problemas.”

Com seu jeito rude e sarcástico, Baxter não quer saber se tem alguma correlação com esse caso e não se interessa uma vez que o assassino do Boneco de Pano encontra-se preso, mas quando é obrigada pelos superiores a levar os agentes para conversarem com o criminoso, viverá momentos de grande tensão com o massacre que ocorre enquanto estão dentro do presídio, então se dará conta de que os crimes do Boneco de Pano são apenas um chamariz ou seria a ponta do iceberg para muitos episódios que estariam por vir. 

“Havia mais ainda por vir, disso ele estava certo, e não havia nada que nenhum deles pudesse fazer além de observar.”

Então, Baxter vai para Nova York examina a cena do crime e trabalhar com os agentes desperta sua curiosidade, afinal, quem estaria por trás da nova onda de terror que assolava os policiais, criminosos e vítimas, utilizando-as como iscas e marionetes respectivamente. E quando se deparam com sobreviventes e novas pistas não irão descansar enquanto não descobrirem o autor de tais barbáries.

“Ele acha que pode se esconder de nós. Está errado. Acredita que é mais esperto do que nós. Também está errado. Nenhum de nós irá descansar até termos esse desgraçado algemado na nossa frente.”


Marionete é a sequência de Boneco de Pano. É necessário ler na ordem pois além dos muitos spoilers, alguns leitores podem se sentir perdidos com parte e citações realizadas na trama. 

Apesar dos crimes estarem acontecendo longe de Londres, Baxter foi de grande importância para elucidarem o caso. Também temos a possibilidade de ver a inspetora de uma forma muito particular, seus embates e a dificuldade de conseguir seguir em relacionamentos e convivência social após tudo o que vivenciou no livro anterior. 

A medida que os crimes vão acontecendo, somos levados a criar teorias sobre quem está por trás de toda a engenhosidade das marionetes, seus significados e mesmo que em alguns capítulos tenhamos algumas amostras dos possíveis mandantes ainda assim somos surpreendidos com elementos que geram dúvidas. 

Por ser uma trama com grandes investigações em andamento e o mistério ser uma constante, é difícil escrever mais a fundo sobre a leitura para não soltar spoilers. Mas já adianto, o segundo livro cumpriu muito bem a proposta, ouso dizer que consegue ser até melhor que Boneco de Pano. 

Daniel Cole não poupa em mexer com o nosso imaginário e nos inserir em cenas para lá de eletrizantes, com ritmo frenético enquanto movimenta suas peças ao longo dos capítulos. 

O final é intrigante e um plot surpreendente de tirar o fôlego, nos faz ansiar em ter o terceiro livro em mãos. Só posso dizer leiam esse livro e também que aguardo com grande expectativa o que esse autor irá aprontar.






0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário