Resenha: Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty - Editora Intrínseca

Título: Pequenas Grandes Mentiras 
Autora: Liane Moriarty  
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 400
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:
Um assassinato, um trágico acidente ou apenas adultos se comportando como crianças? O fato é que alguém morreu.

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular. Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de como isso afetará a vida de todos. Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.




A trama gira em torno do mistério sobre o assassinato que acontece na festa dos pais da Escola Pública de Pirriwee. Mas até termos todas as respostas, vamos conhecer sob um aspecto bem interessante essas três mulheres e suas rotinas de vida. 

Madeline está em seu segundo casamento, tem seus filhos. Ao completar quarenta anos meio que pira e tem dificuldades de aceitar que o tempo está passando e que principalmente seus filhos estão crescendo. Sua relação com seu ex- não é a mais tranquila, uma vez que ela o culpa pela falta de assistência e pode ser difícil ela aceitar que sua filha se afeiçoe com o pai e a sua madrasta. 

“Dizem que não é bom guardar ressentimentos, mas sei lá, eu bem que gosto do meu ressentimento. Cuido dele como se fosse um bichinho de estimação.”

Jane é uma mãe solteira. Recém chegada na cidade, logo ajuda Madeline e por intermédio dela conhece Celeste. Seu passado é uma incógnita e não sabemos o motivo de estar sempre mudando de lugar. Seus segredos estão sempre lhe atormentando e por mais que ame seu filho Ziggy, é difícil se adaptar à nova escola e todas as panelinhas. 

"Não preciso de novas amigas, dissera Jane à mãe.
"Precisa, sim. Você precisa fazer amizade com outras mães", respondera a mãe. Vocês se apoiam! E se entendem."

Celeste é casada com Perry, mãe de gêmeos, frequenta os altos círculos sociais. Com padrão de vida alto, as mulheres invejam sua vida, mas o que elas não fazem ideia é que dentro da dinâmica do casamento algo de muito perturbador acontece. 

“O que as fãs de Perry achariam se o vissem fazendo as coisas que ele fazia?"

O primeiro dia da escola está a todo vapor e na hora que as três vão buscar os filhos, um incidente onde Amabella, filha de Renata, acusa Ziggy de tê-la estrangulado causando marcas em seu pescoço, Jane acredita na palavra de Ziggy que afirma não ter feito mal a sua colega de classe. Daí, como tudo que ocorre entre o ciclo de pais e alunos, se instala uma grande rachadura entre essas mulheres que se dividem: o lado de Madeline, Celeste e Jane, e do outro, Renata e o restante dos pais que ficam temerosos com a atitude do garoto. 

Acontece que diante de todo o ocorrido, será dada margem para que em plena festa dos pais na escola, termine de maneira trágica, levantando inúmeros suspeitos e muitas mentiras. 



Pequenas grandes mentiras é uma trama genial que vai além do que motivou um assassinato. Liane Moriarty nos joga dentro de cada família, nos mostra os dramas de cada uma dessas mulheres e de forma lenta vai nos conduzindo em meio aos segredos e tantas mentiras vivenciados por essas famílias. 

Narrado em terceira pessoa, os capítulos são curtos. Liane gosta de trazer passado e presente. A medida que vamos conhecendo a história, o leitor é apresentado a uma série de trechos de depoimentos de alguns personagens que também estão sendo investigados e que aparecem ao final do capítulo, deixando a leitura ainda mais instigante e nos dá a sensação de estarmos em uma verdadeira e angustiante rede de fofocas. Sendo de fundamental importância o acompanhamento dos personagens secundários. 

Cada migalha dada pela autora nos dá o que refletir e a obra se mostra poderosa, rica, com tantos temas importantes e conturbados, que mexe com o psicológico do leitor e porque não dizer empoderado. 

Pequenas grandes mentiras foi publicado pela editora Intrínseca. Para aqueles que gostam de adaptação, a série é exibida pela HBO, se não me engano está em sua segunda temporada, como ainda não assisti não posso dar detalhes, mas agora que li pretendo conferir a atuação dessas incríveis atrizes: Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley.

DLL19 Agosto | Livro que está há mais de 6 meses na sua estante.





0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário