Resenha: Trono de Vidro - Sarah J. Maas - Galera Record

Título: Trono de Vidro - #1
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2013
Páginas: 392
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

Numa terra em que a magia foi banida e em que o rei governa com mão de ferro, uma assassina é chamada ao castelo. Ela vai, não para matar o rei, mas para conquistara sua própria liberdade. Se derrotar os vinte e três oponentes em competição, será libertada da prisão para servir a Coroa com o estatuto de campeão do rei - o assassino do rei. O seu nome é Celaena Sardothien. O príncipe herdeiro vai provocá-la. O capitão da Guarda vai protegê-la. Mas um halo maléfico vagueia no castelo de vidro - e está lá para matar. Quando os seus concorrentes começam a morrer um a um, a luta de Celaena pela liberdade torna-se numa luta pela sobrevivência e numa jornada inesperada para expor um mal antes de que este destrua o seu mundo.




Celaena Sardothien estava fadada a passar o resto de seus dias presa trabalhando como escrava nas minas de sal em Endovier. Apesar de ter fracassado em uma fuga, ainda assim Celaena chama atenção por conseguir sobreviver naquele lugar quando muitos não foram capazes de passar do primeiro mês. 

Nada na vida dela foi fácil. Seus pais foram assassinados e aos oito anos foi morar com Arobynn Hamel, onde desenvolveu suas habilidades com o rei dos assassinos. 

“— Você precisa ouvir o que eu disser. Nada é coincidência. Tudo tem um propósito. Você deveria vir para este castelo, assim como deveria ser uma assassina, aprender as habilidades necessárias para sobreviver.”

A assassina de Adarlan é letal, temida por muitos e com uma reputação que se estende ao longo dos anos, ainda se recente pela traição sofrida resultando em sua captura. Mas agora, ela se depara com a oportunidade de conseguir sua liberdade se conseguir passar na competição para ser a campeã do rei e trabalhar por um período de quatro anos silenciando oponentes e fazendo o trabalho sujo para o rei, ao final desse período conseguiria a tal liberdade. 

Cada um dos 23 competidores tem uma espécie de mentor e patrocinador, os de Celaena são Chaol Westfall, capitão da Guarda Real e Dorian Havillard, o príncipe herdeiro de Adarlan. Aos poucos, Celaena que agora responde pelo nome de Lilian - uma artimanha para preservar a identidade dela – começa a criar laços com Chaol, Dorian e Nehemia, princesa de Eyllwe.

“– Um coração corajoso é muito raro – disse ela, com uma tranquilidade repentina. – Deixe que ele a guie.”

Se fosse pensar apenas na competição seria fácil para Celaena, mas acontece que uma série de assassinatos estão ocorrendo antes das provas de cada semana e o instinto de preservação dessa assassina lhe coloca para investigar e desvendar as marcas deixadas e o padrão dessas mortes. E nessa busca, Celaena se deparará com um apelo para impedir que esses seres malignos que há muitos anos estão confinados em outros mundos possam regressar causando destruição não só em Forte da Fenda, mas além dos muros do Castelo de Vidro.

“– Eu a nomeio Elentiya. – Nehemia beijou a sobrancelha da assassina. – Eu lhe atribuo este nome para usá-lo como honra, para usá-lo quando o fardo dos outros nomes se tornarem muito pesados. Eu a nomeio Elentiya, ‘Espírito Que Não Pôde Ser Quebrado’.”


Depois que me apaixonei pela escrita da Sarah em Corte de Espinhos e Rosas e Mulher-Gato, chegou a hora de começar a desbravar Trono de Vidro. Ao contrário dos outros livros, confesso que alguns momentos da trama não me senti presa a leitura, porém em nada tirou o brilho da história, acho que a agitação da semana também contribuiu para isso, mas depois peguei o ritmo e ai fluiu bem. 

Celaena é uma sobrevivente, mas apesar da sua força e inteligência, em alguns momentos podemos ver sua fragilidade e dificuldade de lidar com as memórias do passado. Em um misto de mocinha (que se compadece e sempre ajuda aqueles que ela se afeiçoa ou ver em condição injusta) e vilã (já que ela odeia o rei por tudo o que fez e é uma assassina) a autora incluiu algumas referências de conto de fadas, mas são bem sutis uma vez que gosta de dar as suas protagonistas esse papel. 

Publicado pela Galera Record, a série até o momento conta com nove livros. A diagramação é simples. A fonte confortável para leitura, mas observei alguns erros de ortografia, falta de iniciação de parágrafo. A capa, assim como a contracapa são muito bonitas. 

Para um primeiro livro acho que cumpriu bem com minhas expectativas. A trama é cheia de aventuras, apesar de ser bem introdutória, uma vez que a série é bem extensa. Mas aqui temo muitas provas sendo disputadas, traições, segredos, fantasia, amizade e até uma pitada de romance, com uma insinuação de triângulo amoroso. O instante final foi eletrizante e o próximo livro promete ser bem agitado, pelo menos assim espero.   



0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário