Resenha: A Corrente - Adrian McKinty - Editora Record

Título: A Corrente
Autor: Adrian McKinty
Editora: Record
Ano: 2019
Páginas: 378
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

Vítima.
Sobrevivente.
Sequestrador.
Criminoso.
Você vai se tornar cada um deles.
O dia começa como qualquer outro. Rachel Klein deixa no ponto de ônibus a filha de 13 anos, Kylie, e segue sua rotina. Mas o telefonema de um número desconhecido muda tudo. Do outro lado, uma voz de mulher avisa que Kylie está no banco de trás de seu carro, e que Rachel só verá a filha de novo se pagar um resgate ― e sequestrar outra criança.
Assim como Rachel, a mulher no telefone é mãe, também teve o filho sequestrado e, se Rachel não fizer exatamente o que ela manda, o menino morre, e Kylie também. Agora Rachel faz parte da Corrente, um esquema aterrorizante que transforma os pais das vítimas em criminosos ― e, ao mesmo tempo, deixa alguém muito rico.
A Corrente é implacável, apavorante e totalmente anônima. As regras são simples: entregar o valor exigido, escolher outra vítima e cometer um ato abominável do qual, apenas vinte e quatro horas antes, você se julgaria incapaz. Rachel é uma mulher comum, mas, nos dias que se seguem, será levada a extremos que ultrapassam todos os limites do aceitável. Ela será obrigada a fazer escolhas morais inconcebíveis e executar ordens terríveis. Os cérebros por trás da Corrente sabem que os pais farão qualquer coisa pelos filhos. Mas o que eles não sabem é que talvez tenham se deparado com uma oponente à altura. Rachel é inteligente, determinada e... uma sobrevivente.





Rachel Klein deixa sua filha Kylie, de 13 anos, no ponto de ônibus para ir à escola, enquanto segue para uma consulta com sua oncologista. A rotina parecia seguir dentro do esperado até que essa mãe recebe um telefone de uma mulher dizendo que sequestrou sua filha e que ela deve seguir à risca tudo que fora pedido – pagar uma soma em dinheiro e sequestrar uma criança, exigindo também resgate – para que ela tenha seu filho de volta e só assim conseguir resgatar Kylie. 

“Tentar fugir é um tiro no escuro bem arriscado, mas é melhor do que não tentar nada.”

A corrente é poderosa, está instalada e espalhada por todos os cantos. Uma vez que se entra, nunca sairá. Ela marca e ao menor contratempo os sequestradores matam a vítima e recomeçam fortalecendo ainda mais esse sistema. 

“Como disse J. G. Ballard, a civilização não passa de um fina camada e frágil camada de verniz que recobre a lei da selva: antes você do que eu. Antes seu filho do que o meu.”

Desesperada, Rachel precisa traçar um plano rápido e eficiente. Envolver a polícia está fora de cogitação e será com a ajuda de Pete, tio de Kylie, que ela encontrará forças para seguir a diante, salvar sua filha e não quebrar a corrente. 

“A vida é uma cascata de agoras caindo um por cima do outro sem nenhum significado nem propósito.”


Com essa premissa, logo nas primeiras páginas é possível sentir o ritmo acelerado, assim como os capítulos, que são curtos, contribuem para uma trama ágil. Aqui a concepção de certo ou errado fica em segundo plano, uma vez que parte da história os personagens precisam tomar decisões para salvarem seus entes queridos. 

Dividido em duas partes, na primeira observamos todo o drama de Rachel para conseguir obter êxito e resgatar sua filha e na segunda parte passamos a entender a partir de quais fatos culminaram para que a corrente surgisse e ganhasse força. 

A corrente foi uma leitura que realizei rápido, apesar de sentir que certas partes no meio da narrativa deixaram a trama um pouco mais arrastada, mas os momentos finais me deixaram satisfeita com o desfecho. 

Lançado pelo Grupo Editorial Record, me vi curiosa com as divulgações nas redes sociais, sendo thiller não podia deixar de comprar meu exemplar na Bienal do Rio. 

Foi meu primeiro contato com a escrita do autor que conduziu com maestria diversos assuntos em meio ao suspense. Sem dúvidas uma trama inteligente, audaciosa, que nos faz criar algumas teorias ao longo do enredo. Mesmo tendo captado quem estava por trás do sistema, ainda assim fiquei satisfeita com as reviravoltas que esse thriller foi capaz de ocasionar. Se você gosta do gênero, certamente vai apreciar mais essa leitura.



0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário