Resenha: As Sombras de Outubro - Søren Sveistrup - Editora Suma

Título: As sombras de outubro 
Autor: Soren Sveistrup
Editora: Suma
Ano: 2019
Páginas: 416
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.


É outubro e a neve de outono começa a cair em Copenhagen, deixando os dias mais curtos e as noites mais sombrias... e pelas ruas geladas e escuras, um psicopata aterroriza a cidade. Em uma manhã tempestuosa em um tranquilo bairro de Copenhagen, a polícia faz uma descoberta sinistra: o corpo de uma mulher brutalmente assassinada, com uma das mãos faltando. Sobre ela está pendurado um pequeno boneco feito de castanhas. O caso é entregue à ambiciosa detetive Naia Thulin e a seu novo parceiro, Mark Hess, um investigador introspectivo que acabou de ser expulso da Europol.
Logo se descobre uma evidência ligando o sr. Castanha a uma garota desaparecida há um ano: a filha da política Rosa Hartung. O homem que confessou tê-la sequestrado e assassinado está atrás das grades e o caso foi encerrado há tempos ― e qualquer insinuação contrária causa disputas e inimizades na corporação. No entanto, quando novas vítimas e novos bonecos aparecem, Thulin e Hess acham cada vez mais difícil ignorar a conexão entre o caso Hartung e o novo serial killer.
Mas que conexão seria essa? E como impedir o assassino de continuar sua caçada, se ele parece sempre um passo à frente da polícia?
As Sombras de Outubro traz o melhor do estilo thriller noir, acrescentando ao suspense clássico uma boa dose de energia. Sveistrup retrata seus personagens com sensibilidade e mostra como romances policiais podem fazer críticas contundentes às realidades sociais.






Naia Thulin não é uma detetive qualquer. Trabalha na Divisão de Homicídios em Copenhagen, mas a ambição em alçar voos mais altos está prestes a acontecer quando vê oportunidade de se candidatar a vaga no Centro Nacional de Crimes e deixar o arrogante e machista chefe para trás. 

Com o número reduzido na equipe, Naia precisará trabalhar com um investigador recém chegado da Europol, Mark Hess. Expulso da divisão, sua história ainda é um mistério, porém ela não tem tempo para perder com a vida pessoal de ninguém, visto que a sua é uma bagunça e agora um grande caso acaba de chegar a sua liderança. 

“O luto é o amor que ficou sem lar, e é necessário aprender a viver com o luto e continuar seguindo adiante.”

Ao se depararem com a cena do crime logo percebem que a mulher fora deixada perto da casa de bonecas no quintal, com uma das mãos cortadas e no lugar delas há um boneco feito de castanhas. 

A partir daí, começa uma corrida atrás das evidências e não demora muito para descobrirem a digital de uma jovem desaparecida no Sr. Castanha. A digital que pertence a Kristine Hartung, filha da política Rosa Hartung, causa um grande alvoroço, uma vez que seu caso foi encerrado e com julgamento, mesmo que o criminoso nunca tivesse apontado de fato em que lugar o corpo poderia ser encontrado. 

“Tarde demais. Ele está muito à frente de vocês. É por isso que estão aqui, fazendo todas essas perguntas. Porque ele está acabando com vocês.”

Com todo cuidado, Hess e Thulin não tem dúvidas de que os casos têm alguma relação e a partir do momento que novas vítimas e outros Sr. Castanha vão surgindo, eles precisam se concentrar para estarem um passo à frente se quiserem capturar o engenhoso serial killer. 

Haveria alguma chance da jovem estar viva? Quem estaria por trás de tantas histórias macabras?

“Sr. Castanha, onde está? Sr. Castanha o que tem para me dar?”


As sombras de outubro é um thriller bem engenhoso. O autor nos leva a acreditar em várias teorias e quando pensamos já saber quem está por trás de tantos crimes logo somos surpreendidos com novas evidências. Essa sensação também se dá pelo fato da narrativa apontar para vários personagens, então conhecemos de perto cada um deles, aumentando a expectativa para a revelação de tantos segredos. 

Apesar da engenhosidade das cenas e um enredo bem construído, confesso que em alguns momentos a leitura se manteve com um ritmo mais lento, assim como o excesso de descrições sobre a vida dos personagens, dando a sensação de voltas e pouco acréscimo para a resolução dos casos em si. 

Outro ponto que me incomodou foi o arquivo que recebi em parceria. A edição não estava boa. Os capítulos terminavam e iniciavam no mesmo parágrafo ou mudavam as cenas, deixando muitas vezes perdida, tomando um tempo ainda maior no entendimento da trama. 

Concluindo, a leitura foi boa. O autor ainda aproveita para tecer críticas sobre maus tratos, sistema de adoção, política. É um gênero que adoro me aventurar, os casos são impressionantes, alguns diálogos chocantes a motivação por trás de tudo está bem amarrado, o final é eletrizante e sem dúvidas vai agradar os leitores.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário