Resenha: Enquanto eu respirar - Ana Michelle Soares - Editora Sextante

Título: Enquanto eu respirar 
Autora: Ana Michelle Soares
Editora: Sextante
Ano: 2019
Páginas: 240
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.


“Esta não é uma história sobre o câncer. É sobre viver, sobre vivência, sobre dançar com o tempo.
É sobre amizade, sobre não ter medo de sentir, sobre querer o milagre da boa morte e sobre querer chegar ao final com a certeza de que a jornada foi uma experiência extraordinária.”
Aos 32 anos, não foi fácil para a jornalista Ana Michelle Soares receber o diagnóstico de que seu câncer de mama tinha voltado e atingira outros órgãos. Não havia mais possibilidade de cura. O tratamento seria focado em controlar a doença e seus sintomas – e em lhe proporcionar a melhor vida até o fim.
Num relato visceral, marcado pelo humor ácido e por toda a coragem e urgência de quem não tem tempo a perder, AnaMi conta como o contato com a morte transformou para sempre sua maneira de enxergar as coisas.
Em busca da cura da alma, encontrou uma grande companheira de jornada – a Renata, que enfrentava algo muito parecido – e, nesse processo, descobriu a si mesma. Dessa parceria nasceu a conta @paliativas no Instagram, para provar que tratamento paliativo não é sobre morrer: é sobre viver.
É sobre ir à luta e viver apesar da doença. Inundar-se de gratidão a cada momento. Ressignificar a existência. Pois, para quem gosta de viver, nunca será tempo suficiente.





Quando a vida da jornalista Ana Michelle parecia estar entrando novamente nos eixos, descobre que seu câncer de mama estava em metástase. Uma nova batalha se iniciaria, mas agora ela sabia que não havia oportunidade de cura, mas o tratamento paliativo tentaria apenas controlar a progressão da doença e todas as suas causas. 

“Os saudáveis pensam em COMO querem morrer (num futuro muito distante).

Os doentes pensam em QUANTO querem viver.

Os “paliativos”, em como VIVER INTENSAMENTE até lá...”

Entre uma quimio e tantas outras medicações, AnaMi com seus textos nas redes sociais conhece pessoas que tem tanta sede de viver assim como ela e daí surge a amizade com aquele que transformaria seus dias, a Renata. A capacidade de rir da dor, tirar sarro da doença e tentar aproveitar ao máximo seus dias, fez com que ela aos poucos fosse encontrando a cura para sua alma e desse ressignificado aos seus dias. 

Juntas criaram o @paliativas, montaram uma #bucketlist e registraram cada uma de suas conquistas, seus desafios ao enfrentar a doença, a amizade linda que as duas compartilhavam, as viagens, o amor pela vida. 

“Com câncer ou não, a vida é para ser legal. Se não está, é preciso entender o que está errado e resolver. Tanta gente saudável que morreu sem ter vivido, sem ter se amado, sem ter se permitido ser feliz. Tanta gente doente que, na dor de se descobrir mortal, decidiu buscar a cura que importa e tem vivido os melhores dias de sua vida. Tem gente que goza de saúde e precisa de mais cuidados paliativos do que eu.”


Quando escutei a história da AnaMi no podcast da Sextante me comovi, em um primeiro momento por ser tão jovem e já ter que enfrentar os horrores dessa doença, mas ao final o sentimento de pesar tinha cedido o lugar para a admiração e não pude deixar de pensar: “caramba, como pode transformar a tristeza, parar de chafurdar a dor e sorrir de um momento tão obscuro como ter que lidar com a doença” e a partir daí complementei: “preciso ler esse livro”. 

A leitura não poderia ser em um momento melhor. Final de ano sempre refletimos muito sobre o ano que passou e sobre projetos e planos que desejamos para o ano novo, ao terminar a leitura meus únicos desejos são: viver a vida de forma plena, que a felicidade seja uma constante na nossa vida, pois perdemos muito tempo remoendo sentimentos, reclamando disso ou daquilo e sinceramente deveríamos ter vergonha de ser tão resmungões. 

Só posso agradecer pela AnaMi ter colocado em palavras toda sua jornada e das PaliAtivas. Com certeza foi o melhor livro que li esse ano. Sorri, me emocionei, refleti, me senti aquecida e transformada com tantos trechos e lições deixadas ao longo da leitura. 

Eu poderia ficar aqui contanto passagens dos livros, mas mesmo que o fizesse, em nada se compararia com a leitura e todas as emoções sentidas. Por isso meu desejo é que você se permita conhecer Enquanto eu respirar, sinta cada uma de suas páginas, aprenda ser grato em qualquer situação e o mais importante, ame viver a vida.



2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Ai que resenha mais fofa, tenha a certeza que conseguiu transmitir um sentimento muito bom com sua resenha <3 Os melhores livros são esses que realmente nos ensinam algo, que passam uma mensagem tão real para nós. Eu com certeza o leria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu super recomendo a leitura. É o tipo de livro que transmite mensagens que mudam nossa percepção sobre a vida!

      Excluir