Resenha: Outlander: A libélula no âmbar - Diana Gabaldon - Editora Arqueiro

Título: A libélula no âmbar - Outlander #2
Autora: Diana Gabaldon
Editora: Arqueiro 
Ano: 2018
Páginas: 880
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

Dois personagens inesquecíveis - Claire Randall e Jamie Frazier - estão de volta com uma história de aventura e amor que atravessa séculos...
Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... e sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Mesmo com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?




Esse ano coloquei como uma de minhas metas ficar em dia com algumas séries da minha estante e Outlander é uma dessas, sendo assim, janeiro intercalei minhas leituras com o segundo livro e hoje resolvi trazer a resenha para vocês. 
"— Sou uma sassenach, afinal de contas - eu disse, percebendo a ironia. Ele tocou meu rosto de leve com um sorriso melancólico. — Sim, mo duinne. Mas você é minha sassenach."
Em A libélula no âmbar, já começamos com uma passagem de tempo importante de vinte anos, e agora Claire retorna a Escócia ao lado de sua filha Brianna, mas longe de seu amado Jamie. 

Sedenta por saber mais sobre que fim levou Jamie e o paradeiro de seu clã, Claire dá continuidade à investigação em Inverness e conta com a ajuda de Roger, o filho adotivo do Reverendo Wakefield. 

O falecido Reverendo foi muito próximo de Frank, seu marido, nas pesquisas anteriores sobre sua linhagem em A viajante do tempo. Claire agora aproveita para pesquisar os cadernos de anotações do Reverendo, levando a caminhos interessantes e conflituosos, pois é chegado o momento de trazer verdades à tona. 

Durante algumas idas a locais que possam mostrar o verdadeiro paradeiro de Jamie, Claire se emociona ao se deparar com a confirmação de sua morte e de Jack Randall. O choque é tão grande que em um momento de fragilidade, Claire conta tudo a sua filha e a Roger, relatando desde o ritual na Craigh na Dun, seus dias na Escócia e na França, até o segredo do nascimento de Brianna.

“Mas você se recusou a ir, você me aconchegou em seu peito e me consolou. Em vez de ir embora, você me curou. Você me amava, apesar de tudo."


Paralelo a esses acontecimentos do presente, o livro divide-se em partes que trazem mais de Jamie e Claire em meados de 1744, a partida deles para a França, onde eles tentariam a todo custo formas de impedir que os jacobitas participassem da rebelião em Culloden em 1746, pois Claire tinha ciência que o destino do clã das Terras Altas caso houvesse um confronto com os ingleses resultaria na morte de Jamie. 

Apesar de amar as cenas bem detalhadas, confesso que em muitos pontos o ritmo de leitura oscilou, isso devido ao excesso de descrições, a autora em minha opinião se perde um pouco nisso, talvez ela queira trazer exatamente pro leitor cada detalhezinho, seja de uma planta ou um local, mas tirando essa ressalva as partes são bem divididas e muito bem amarradas, deixando o leitor impressionado com o universo criado pela Diana, nos fazendo mergulhar em seus personagens e viver com eles essa grande aventura histórica. Fica nítido ao final dos livros o porquê de ser uma série tão aclamada mundo a fora, que mesmo sendo bem extensa não perde a qualidade, pelo contrário, só atraí mais leitores. 

Sem dúvidas alguma é uma série para arrebatar os amantes de romances históricos, com uma dose de fantasia, cheio de grandes aventuras e do amor que ultrapassa as barreiras do tempo. 

A edição está impecável, com bom tamanho de fonte e espaçamento, mas não deixe se intimidar pela quantidade de páginas, pois vale a leitura de cada uma delas. Para quem não sabe a primeira edição foi realizada em 2014, e a edição da editora Arqueiro foi realizada em 2016, que detém os direitos da publicação da série e atualmente está em seu sétimo volume. 

"Deixe que eu lhe diga em seu sono o quanto eu te amo. Porque as palavras que lhe digo quando está acordada são sempre as mesmas, não são suficientes. Enquanto você dormir nos meus braços posso dizer-lhe coisas que soariam tola e loucas, e seus sonhos entenderão a verdade delas. Volte a dormir, mo duinne."


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário