| Resenha | Pistas Submersas - Maria Adolfsson - Faro Editorial

Título: Pistas Submersas - Doggerland #1
Autora: Maria Adolfsson  
Editora: Faro
Ano: 2020
Páginas: 368
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.


Bem-vindo ao mundo único de Doggerland! Uma nação formada por grande extensão de terras, hoje, a maior parte submersas, das quais restaram apenas três ilhas, localizada em algum lugar entre o Reino Unido e os países nórdicos. É lá que Maria Adolfsson cria o cenário perfeito para uma história arrebatadora.
Na manhã seguinte ao grande festival das ilhas de Doggerland, norte da Escandinávia, a detetive Karen Hornby acorda em um quarto de hotel com uma ressaca gigantesca, mas não maior que os arrependimentos da noite anterior. Na mesma manhã, uma mulher foi encontrada morta, quase desfigurada, em outra parte da ilha. As notícias daquele crime abalam a comunidade. Karen é encarregada do caso, algo complexo pelo fato de a vítima ser ex-esposa de seu chefe. O homem com quem Karen acordou no quarto de hotel... Ela era o seu álibi. Mas não podia contar a ninguém. Karen começa a seguir as pistas, que vão desenrolando um novelo de segredos há muito tempo enterrados. Talvez aquele evento tenha origem na década de 1970... Talvez o seu desfecho esteja relacionado a um telefonema estranho, naquela primavera. Ainda assim, Karen não encontra um motivo para o assassinato. Mas, enquanto investiga a história das ilhas, descobre que as camadas de mistérios daquelas terras submersas são mais profundas do que se imagina




Doggerland é conhecida por seu famoso festival de ostras, recebendo um grande número de visitantes das cidades vizinhas. A detetive Karen só queria passar uma noite tranquila aproveitando as festividades, mas entre um copo e outro, acaba passando a noite com seu chefe nada amistoso. Agora, além de uma grande ressaca, ela precisará adiar suas férias mais uma vez e assumir um caso de grande repercussão, pois a mulher brutalmente assassinada nada mais é que a ex-esposa de Jounas, seu chefe. 

Enquanto tenta reunir provas e evidências sobre quem poderia ter cometido esse misterioso crime, Karen procura confirmar o álibi de Jounas sem explanar que até determinado horário eles estavam juntos, afinal a última coisa que deseja é que fiquem sabendo que dormiu com ele, principalmente por ser um machista e bem idiota na maioria das vezes. 

Os dias vão passando, a pressão em cima da equipe da detetive aumenta e novos fragmentos vão deixando suspeitas sobre o crime ter relação com o passado de Susanne, mas outros crimes na cidade acontecem, causando confusão, levando-os a estaca zero, encerrando o caso, mas Karen tem faro apurado e sabe que se investigar mais descobrirá o emaranhado de segredos que esse caso virou e está convicta de que ainda tem mais, mesmo contra a vontade de seu chefe, colocando-se em grande perigo.

“Teria ela tornado tão miserável a vida de alguém a ponto de fazer essa pessoa perder o controle? Ou será que ela sabia de algo que representava uma ameaça para alguém?”


Pistas Submersas é o primeiro livro da série Doggerland. A Faro fez um trabalho impecável e belo em sua edição. 

Seu começo é eletrizante, já nos deparamos com um crime, mas conforme os capítulos vão passando o ritmo normalmente vai tornando-se mais devagar, com alternância da narrativa entre passado e presente em alguns capítulos, mostrando parte do que ocorreu nos dando ainda mais teorias sobre o que poderia ter acontecido com a vítima. Os capítulos são curtos e isso ajudou bastante pela quantidade de informações e o foco em algumas histórias paralelas como a da detetive e a relação com possíveis suspeitos dão consistência ao enredo. A autora conseguiu dar um fôlego maior a partir da página 260, conduzindo seu desfecho de forma surpreendente conseguindo me agradar e querer ver Karen desvendando novos casos em breve.


2 comentários via Blogger
comentários via Facebook

2 comentários

  1. Oi, Cami

    Já te falei que quero muito ler o livro, né? Vou esperar o preço baixar um pouquinho para poder comprar, mas com certeza vou ler.
    Amo livros do gênero onde as detetives são mulheres, acho que nós possuímos um faro muito mais aguçado e acabo achando tudo muito mais interessante! hahahaha
    Tenho certeza que vou gostar, ainda mais com essa alternância temporal que é um artifício que eu simplesmente adoro!!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tami,
      eu também adoro ver a gente desvendando os mistérios dos crimes quando estamos a frente das histórias. Acho que é um trama que pode te agradar, vou querer saber o que achou quando tiver oportunidade de ler.

      Beijos!

      Excluir