| Resenha | O livro de Líbero - Alfredo Nugent Setubal - Editora Intrínseca

Título: O livro de Líbero - Intrínsecos #018
Autor: Alfredo Nugent Setubal 
Editora: Intrínseca
Ano: 2020
Páginas: 256
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:


Quando o Circo Bosendorf se instala em Pausado - possivelmente a menor cidade do mundo - toda sorte de eventos pode acontecer.
Massimo Perim, com seu apurado faro jornalístico, logo envia uma equipe de sua Gazeta ao local para descobrir quais serão as atrações da tão esperada noite de estreia. Seu filho Líbero (de onze anos e autointitulado "redator-repórter-editor-chefe júnior" do jornal) e Rubio (o fiel escudeiro dos Perim) partem rumo à empreitada sem imaginar que aquilo que os espera superará em muito o fantástico de qualquer espetáculo. Mais do que o homem-bala cruzando o ar a toda velocidade. Mais do que o gato caindo do alto da tenda e aterrisando sem erro na almofadinha vermelha.
Embora seja um bom leitor, habituado a se perder por horas e horas nas páginas dos seus livros, o menino não reconhece nada de comum na obra que o misterioso homem do circo lhe oferece naquela noite. É uma edição ímpar. Um volume grosso, de capa vermelha, que dá a Líbero a chance de, a cada página virada, ler os eventos de seu futuro, escrito e reescrito em várias versões e possibilidades. Aceitar levá-lo consigo seria tomar para si o roteiro da sua própria vida. Uma escolha que poderá mudar para sempre o destino não apenas de Líbero, mas de todos aqueles que ama e da cidade onde nasceu.





“Verdades são apenas mentiras convenientes.”
Líbero Perim é um jovem muito curioso, que tem como grande companhia seu pai, Massimo que é dono de um jornal, o Gazeta Local. Através dele, Líbero ajuda a propagar as poucas notícias pela cidade de Pousado. Quando fica sabendo que o Circo Basendorf está montando sua tenda na cidade, Líbero e Rúbio, partem para explorar o local atrás de matérias para o jornal, afinal isso sim seria uma novidade a ser compartilhada. 

Quando Líbero se dá conta de que sabe exatamente tudo o que acontecerá no espetáculo, já que o dono do circo fez questão de lhe dar todos os spoilers possíveis, o jovem se enfurece e saí de lá transtornado, andando sem rumo, até que se depara com um homem que lhe oferece a oportunidade de ler o livro vermelho que corresponde a toda sua vida. Líbero não aceita, mas no outro dia quando se arrepende e volta ao local, o circo, o homem, tudo havia ido embora. 

Ressentido e com a cabeça cheia de dúvidas, Líbero começa a se transformar em uma pessoa amargurada, obcecada, rebelde, afastando todos os que lhe querem bem, restando apenas solidão. 

Saber o que de fato aconteceria com a vida dele realmente importaria? Isso traria de volta aquele rapaz alegre ou traria ainda mais incertezas? 

"O futuro é uma guerra que se ganha nas pequenas batalhas."



Quando iniciamos a leitura conhecemos um jovem sonhador, alegre, que ama se deixar levar pelo mundo apresentado através dos livros. Em um segundo momento a leitura foi avançando e tive grandes problemas em conseguir me conectar com o novo Líbero, cheio de rancor, tristeza e até egoísta. 

A escrita do autor é fluida, poética, com altos e baixos e está dividida em duas partes, sendo a segunda narrada por Rúbio, que se torna o grande destaque da trama e por quem senti empatia, principalmente quando nos conta o seu passado. 

O livro de Líbero é o primeiro livro nacional a ser incluído no Clube Intrínsecos. Não posso dizer que foi uma leitura ruim, apesar de não ter me conectado em partes com o protagonista. Faltou um pouco de aprofundamento na vida de Líbero depois do ocorrido, uma volta por cima e o final nada emocionante. 

Mesmo com as ressalvas, é possível tirar várias reflexões sobre a vida, a importância que damos a determinadas situações que muitas vezes nem são relevantes e que o futuro é um caminho de incertezas, por mais que tracemos nossos planos e metas.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário