| Resenha | O Orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares - Ransom Riggs - Editora Intrínseca

Título: O Orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares 
Autor: Ransom Riggs
Editora: Leya
Ano: 2015
Páginas: 336
Onde Comprar: AMAZON 
Sinopse:


A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.





“Às vezes tudo o que você precisa fazer é cruzar uma porta.”
Jacob Portman durante toda sua infância e adolescência ouviu diversas histórias que seu avô lhe contara sobre o tempo em que passou em uma ilha na costa do País de Gales, onde ele e algumas crianças passaram suas vidas no orfanato da srta. Peregrine. 

Com o avô definhando e oscilando entre a razão e a loucura, Jacob por diversas vezes deixou de acreditar no que lhe era dito e mostrado através de algumas fotografias. Até que em um fatídico Jacob presencia um acontecimento que muda de vez sua vida, a morte de seu avô de um jeito bem bizarro. 

Agora, com a ajuda de seu pai, Jacob terá oportunidade de conhecer a tal ilha e explorar os corredores do orfanato que está aparentemente abandonado em busca de respostas. 

“Eu costumava sonhar em fugir da minha vida normal, mas minha vida nunca foi normal.”


Resolvi tirar esse livro que estava desde 2016 na minha estante e dar uma oportunidade a tão falada série. Atualmente quem detém os direitos de publicação é a @intrinseca, mas a minha edição desse primeiro livro é da Leya. 

Repleto de imagens em preto e branco, conseguimos explorar e entender a proposta do enredo criado por Ransom e que de certa forma, tona a leitura um pouco mais dinâmica. 

A narrativa é inteligente, assim como toda a trama, mas confesso que os capítulos estão longe de serem fluidos e por serem extensos senti grandes dificuldades de me conectar com partes da trama, precisando retornar em alguns diálogos para não perder o fio da meada, a fonte pequena também prejudica um pouco, ainda mais no meu caso que utilizo óculos para leitura. 

Ao conversar com alguns amigos, fui orientada a não desanimar da leitura dos próximos volumes, pois só melhoram. Ainda não decidi quando, mas pode ser que continue a leitura dos próximos volumes. 

Uma fantasia cheia de aventuras sombrias, repleta de mistérios e quanto mais avança vai causando curiosidade com seus desdobramentos, principalmente em seus pontos finais, deixando margens para ingressar em seu segundo livro, Cidade dos Etéros.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário