| Resenha | Não basta não ser racista sejamos antirracistas - Robin Diangelo - Faro Editorial

Título: Não basta ser racista sejamos antirracistas
Autora: Robin Diangelo
Editora: Faro Editorial
Ano: 2020
Páginas: 192
Nota: 5🌟
Onde Comprar: AMAZON
Sinopse:

*Livro recebido em parceria com a editora.

É hora de todos os brancos abandonarem a ideia de superioridade e, de fato, atuarem no combate ao racismo. Negação, silêncio, raiva, medo, culpa... essas são algumas das reações mais comuns quando se diz a uma pessoa que agiu, geralmente sem intenção, de modo racista. Ser abertamente racista não é algo socialmente aceitável. Ninguém quer ser visto assim. Mas cada vez que se nega o racismo, impedimos que ele seja abordado e que nossos preconceitos sejam discutidos. As reações de negação não servem apenas para silenciar quem sofre o preconceito, também escondem um sentimento que a autora Robin Diangelo passou a chamar de fragilidade branca. Em seus estudos, Diangelo catalogou frases, palavras e sentimentos de voluntários que se veem sem qualquer preconceito e demonstrou que, no fundo, ele estava lá. Sua proposta é que todos comecem a ouvir melhor, estabeleçam conversas mais honestas e reajam a críticas com educação e tentando se colocar no lugar do outro. Não basta apenas sustentar visões liberais ou condenar os racistas nas redes sociais. A mudança começa conosco. A AUTORA: ROBIN DIANGELO é professora universitária, autora e consultora em questões de justiça racial e social há mais de vinte anos. Não basta não ser racista ― Sejamos antirracistas ocupa as primeiras posições das listas de livros mais vendidos do mundo desde seu lançamento.






“A chave para avançar é o que fazemos com nosso desconforto.
(...)
Como essa lente muda meu entendimento da dinâmica racial? Como meu incômodo ajuda a revelar as afirmativas automáticas que venho repetindo? É possível que, pelo fato de eu ser branco, haja algumas dinâmicas raciais que não consigo ver?”

Desde que terminei a leitura desse livro estou sem saber como resenha-lo. Falar sobre racismo é difícil e devemos ter o maior cuidado, acho que é por isso que a proposta desse livro se torna tão necessário para nós brancos. 

É óbvio que ao responder a pergunta sobre sermos racistas, de cara a maioria das pessoas irá responder que não é, mas ao longo da leitura vamos notando diversas condutas, palavras e expressões que fatalmente nos colocaria em uma posição racista sim perante a sociedade. 

Como leitora de diversos gêneros literários, me incomoda a falta de cuidados no uso de determinadas palavras utilizadas pelos autores em seus livros. Mas isso não acontece só nos livros. Quando crianças deveríamos ser orientados pelos adultos, mas quem deveria orientar são os primeiros a incentivar as piadinhas comparando brancos e negros, o uso em demasia de palavras discriminatórias e ofensivas. 


De forma bem esclarecedora, a autora vai nos mostrando anos de estudos sobre o racismo nos EUA, mas vamos combinar que isso não é algo que acontece só por lá, está enraizado em todo o mundo. Assim, os conceitos que nos foram apresentados e diferenciados trazem lucidez, entendimento e muitas reflexões na abordagem desses tópicos: como supremacia branca, racismo daltônico, aversivo e cultural, os gatilhos raciais, o medo, a fragilidade, os tabus sociais. 

Mesmo sendo um livro de não-ficção, foi uma leitura bem fluida e extremamente impactante. Acho que foi por isso que demorei a finaliza-lo, pois a cada capítulo pude refletir e infelizmente é triste perceber o quanto o racismo está presente em nosso comportamento e que só cabe a nós prestar atenção e modifica-las. 

Uma leitura que incomoda, nos deixa horrorizados, mas que deixa sementes importantes e muitas reflexões. Um verdadeiro aprendizado e por isso se faz tão necessário.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário